Séries e TV

Artigo

American Horror Story | O que esperar do crossover entre Coven e Murder House?

Novidade foi anunciada este mês e gerou muitas dúvidas nos fãs

Henrique Haddefinir
20.06.2018
10h53
Atualizada em
29.06.2018
02h24
Atualizada em 29.06.2018 às 02h24

Os fãs de American Horror Story tiveram uma notícia arrebatadora nos últimos dias: Ryan Murphy, criador da série, anunciou pelo Twitter que a quase utópica temporada crossover que juntaria os universos de Murder House Coven já estará no ar em setembro desse ano - leia mais. A revelação não só enlouqueceu os fãs como também trouxe o seriado de volta aos holofotes depois que AHS:Cult passou despercebida pela maioria das avaliações da mídia. A série tem lutado um pouco por relevância depois de Hotel, quando a presença de Lady Gaga ajudou a nublar a ausência da estrela Jessica Lange. O anúncio do crossover entre o primeiro e o terceiro ano pode ser a oportunidade perfeita para que a antologia recupere seu lugar ao sol. Contudo, há algumas considerações a fazer. A primeira delas é situar o público a respeito do que se tratam essas duas temporadas.

Divulgação

Murder House (como ficou conhecida não-oficialmente) é a primeira temporada. Nela, a família Harmon se mudara para uma casa em Los Angeles, onde uma série de crimes e tragédias criaram um ambiente amaldiçoado. Todos que morriam dentro da casa ficavam presos nela, sendo capazes de interagir com os seres humanos em uma instância até mesmo física. Murder House ditou a mitologia da antologia dali para frente e várias referências que sustentaram o texto nos anos seguintes vieram dela. A temporada se encerrou com quase toda a família Harmon morta, presa à casa, enquanto o bebê deles ficou com a vizinha Constance, que o criou ciente de suas características demoníacas.

Coven foi a terceira e controversa temporada das bruxas. Lá, conhecemos o clã liderado por Fiona, a Supremauma espécie de líder eleita de tempos em tempos, que se recusava a perder sua posição (e aceitar sua velhice). A temporada se desenrolou em torno de quem seria a próxima suprema e o papel acabou ficando com Cordelia, filha da bruxa. Nessa temporada há um número maior de personagens sobreviventes, mas tanto nela quanto em Murder House a morte é um conceito frágil. Os mortos da primeira temporada habitam a casa e a necromancia era constantemente usada em Coven, impedindo que alguns personagens morressem de verdade. Isso significa, então, que qualquer um pode reaparecer no crossover.

A Trama

Talvez a maior dúvida sobre AHS8 seja a respeito de sua história. Tudo parece bastante confuso no momento, sobretudo porque algum tempo antes do anúncio de que o crossover aconteceria, Murphy deu algumas declarações sobre como seria a temporada oito. Mas nenhuma delas parece se aplicar à ideia do crossover. Murphy afirmou que a temporada se passaria no futuro, com Evan Peters interpretando um cabeleleiro. Suas afirmações ganharam corpo quando o suposto vazamento de uma lista de programação da Fox informava que a nova temporada se chamaria American Horror Story: Radioactive. A ideia parecia concretizada, já que aberrações provocadas por contato com radioatividade poderiam ser parte do futuro proposto pelo seriado.

A coisa toda mudou de figura agora, quando a história do crossover foi anunciada e o “futuro” mencionado por Murphy passou a ser apenas de “18 meses para frente”. O elenco e alguns perfis de personagem (como o tal cabeleleiro de Peters) podem ser mantidos de alguma forma, mas fica a impressão de que quando a produção percebeu que as agendas permitiriam as filmagens do crossover, uma mudança deve ter pulado Radioactive para a temporada 9 ou mesmo aniquilado-a (considerando que apenas 9 temporadas foram acertadas e já pode haver um plano para qual seria esse último ano).

Há algum tempo atrás, Murphy publicou no Instagram uma imagem que insinuava que cada temporada correspondia a um dos 9 círculos do inferno de Dante, de A Divina ComédiaMurder House era o círculo do LimboCoven era o círculo da Traição e ficaram faltando dois: o círculo da Luxúria e o círculo da Violência. Se a temporada fosse Radioactive, faria sentido que o oitavo círculo fosse o da Violência. Portanto, é provável que a luxúria, de algum jeito, seja parte do plano conceitual do crossover. É preciso lembrar que Coven terminou com a academia de bruxas tornando-se famosa no mundo todo. Isso pode resultar em um trabalho direto entre as feiticeiras e a ideia de libertação dos espíritos, que foi amplamente sublinhada no primeiro ano. O clã pode se envolver com a casa, sobretudo porque os personagens da primeira temporada estão todos mortos e eles não podem sair da residência.

Personagens X Atores

Vários atores das temporadas já confirmaram presença e alguns deles estiveram nas duas. Passando pelos personagens mais importantes, já podemos prever algumas das decisões do roteiro

Evan Peters – Tate/Kyle: Peters é um dos únicos atores da série que esteve em absolutamente todas as temporadas. Em Murder House ele viveu um adolescente psicopata que estava morto e preso à casa desde o começo. Já em Coven sua participação foi mais problemática. Kyle era uma espécie de Frankenstein que não foi muito bem desenvolvido pelos roteiros. Nas duas temporadas ele não está exatamente “vivo” e em ambas ele faz par com Taissa FarmigaContudo, dificilmente Kyle será o foco da participação de Evan. Tate, de Murder House, tem muito mais a oferecer.

Taissa Farmiga – Violet/Zoe: Farmiga participou ativamente do seriado exatamente nas duas temporadas que retornam. Na primeira ela era a filha do casal Harmone acabou seduzida pelo psicopata-fantasma Tate. A personagem de Coven é mais interessante: Zoe era uma bruxa candidata a Suprema que durante a temporada vai crescendo e termina como peça importante da trama. Contudo, o personagem mais interessante de Evan é Tate (que inclusive prometeu esperar por Violet o quanto for necessário) e o mais interessante de Taissa é Zoe. Um de cada temporada. Não seria surpresa se Muprhy resolvesse colocar ambos (ou apenas um deles) em um personagem novo, sem nenhuma ligação com o passado.

Sarah Paulson – Billie/Cordelia: Considerando que a médium Billie já apareceu em Hotel, é provável que a nova Suprema, Cordelia, seja o personagem em que Paulson vai se focar. Isso pode facilitar a presença das bruxas Nan e Madison (vivida por Emma Roberts), que já anunciou seu retorno. Madison tem o mesmo sobrenome do dono da casa assombrada do primeiro ano. A conexão é clara desde o começo. A dúvida está em Queenie, que morreu em Hotel. Murphy afirmou que convidou todas as bruxas para voltar, então algum flashback pode garantir aparições especiais.

Jessica Lange – Constance/Fiona: Se a temporada realmente será no futuro, Fionade Coven, não deve reaparecer, já que está morta. Constance terminou o primeiro ano cuidando do neto psicopata que sempre foi uma incógnita para os fãs. Essa foi uma conexão que parece ter sido guardada para um momento muito oportuno. Talvez seja esse. Resta torcer para que Lange aceite e possa retornar, já que sua presença ainda não foi confirmada.

Dennis O’Hare Frances Conroy têm personagens dispensáveis até certo ponto. Lily Rabe também deve aparecer apenas como a Sra. Montgomery, embora os fãs clamem por Misty (que teve um trágico fim em Coven). E não dá para esquecer que Angela Basset Kathy Bates entraram na série apenas na terceira temporada e ambas já foram confirmadas. Contextualizar as voltas de Marie Laveau e Madame LaLaurie seria complicado, então elas podem acabar voltando em flashbacks ou em novos personagens. Billie Eichner Leslie Grossman, que fizeram apenas Cult, também devem retornar, assim como Adina Porter, que virou um grande nome da série desde RoanokeJoan Collins é uma novidade do elenco; e Murphy já revelou negociações com Anjelica Houston.

Lady Gaga – Scathach: Quem assistiu ao documentário de da cantora na Netflix sabe que ela causou alguns probleminhas durante sua pequena participação em Roanoke. Murphy pode ter se colocado numa cilada, já que ele anunciou que a personagem de Gaga no sexto ano era, na verdade, a primeira Suprema da história. Com o retorno do universo de Coven, os fãs vão cobrar um investimento dos roteiros nessa informação. Considerando que Gaga não curtiu muito sua participação em Roanoke e que agora fará residência em Las Vegas, pode ser que Scathach permaneça no escuro.

American Horror Story: Dúvidas

As notícias até agora são cruzadas e não dá pra saber o que estava decidido antes do crossover ser fechado ou o que se mantém agora que ele será uma realidade. É provável que várias decisões sobre o oitavo ano estivessem sendo tomadas independentemente do crossover, mas elas podem ter mudado quando as agendas tornaram os reencontros possíveis. Como costuma acontecer, algumas das respostas só virão quando os primeiros teasers começarem a aparecer. E eles vão aparecer, já que para uma temporada tão cheia de fan service, a propaganda é essencial para despertar curiosidade e interesse.

As filmagens de American Horror Story 8 começaram em 16 de junho e todas as novidades serão divulgadas. Uma coisa é certa: o impacto da série na cultura pop foi tão grande, que a temporada pode vir a ser um dos maiores eventos televisivos da última década.