Ray Liotta: “Eu já fiz todo tipo de papel, mas só lembram dos vilões”

Créditos da imagem: Ray Liotta como Gordon Evans em Hanna (Reprodução)

Séries e TV

Notícia

Ray Liotta: “Eu já fiz todo tipo de papel, mas só lembram dos vilões”

Ator volta a viver um antagonista ameaçador na 3ª temporada de Hanna

Caio Coletti
15.11.2021
06h00

Henry Hill em Os Bons Companheiros. O policial fissurado na vida de um casal suburbano em Obsessão Fatal. O presidiário que posa como oficial da lei em Identidade. Um sociopata condenado à morte em Control. O chefão do crime Dorothy Macha em Revólver. O corrupto oficial Wozniack em Shades of Blue. E, por fim, Gordon Evans, a nova ameaça aos planos da protagonista na 3ª temporada de Hanna.

Além de serem homens ameaçadores e violentos, esses personagens têm mais algo em comum: são interpretados por Ray Liotta. Mesmo assim, o ator de 66 anos, natural de Nova Jersey, diz ao Omelete que sua fama de “bom vilão” é mais produto da imaginação do público do que da realidade da sua extensa filmografia.

Não sei se sou atraído por esses papéis, na verdade. Eu também fiz filmes da Disney, fiz dois filmes com os Muppets, e não bato neles em nenhum dos dois… Miss Piggy foi a única companheira de cena com quem eu tive um caso na minha carreira toda, mas não queremos falar disso”, diz ele, na sua voz grave que não trai nem um pingo do bom humor da frase.

Eu fiz um pouco de tudo na minha carreira, mas parece que os vilões realmente se destacam na memória das pessoas, e eu acho que isso é verdade sobre qualquer ator”, completa. Personagens como o aspiracional jogador de beisebol “Shoeless” Joe em Campo dos Sonhos e o homem de família de Corina, Uma Babá Perfeita, além das paródias divertidas de si mesmo que fez em Bee Movie e Modern Family testemunham a favor da avaliação do ator.

Na ativa desde o começo dos anos 1980, Liotta ainda parece encontrar genuíno prazer no ato de construir personagens e colaborar com seus colegas de elenco. “Mireille Enos [Marissa] e Esmé Creed-Miles [Hanna] são tão boas no que fazem, isso te seduz de uma forma incrível. Todas as cenas que tivemos juntos foram divertidas de gravar, porque elas estavam ali comigo”, elogia.

Não há nada mais empolgante do que estar ao lado de diretores e atores que gostam de brincar de faz-de-conta de maneira séria”, continua. “Quando alguém realmente se empenha no trabalho, isso te encanta como ator”.

Em Hanna, acompanhamos a personagem título (Esmé Creed-Miles), criada em um programa governamental clandestino que treina garotas desde o nascimento para se tornarem assassinas de aluguel. Contando com a ajuda de dois ex-inimigos, Marissa (Mireille Enos) e Carmichael (Dermot Mulroney), a 3ª temporada mostrará o plano final de Hanna para desmontar o programa.

Os seis episódios finais da série, criada por David Farr, chegam ao Amazon Prime Video em 24 de novembro.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.