Eu Sei o Que Vocês Fizeram é mais thriller psicológico que slasher, diz elenco

Créditos da imagem: Ashley Moore (à frente) em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Séries e TV

Artigo

Eu Sei o Que Vocês Fizeram é mais thriller psicológico que slasher, diz elenco

Atores da produção da Amazon, que estreia na sexta (15), comentam diferenças em relação ao filme

Caio Coletti
12.10.2021
06h00
Atualizada em
12.10.2021
19h35
Atualizada em 12.10.2021 às 19h35

Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado é um verdadeiro ícone do final dos anos 1990. O filme estrelado por Jennifer Love Hewitt e Sarah Michelle Gellar foi, junto com Pânico, o grande disparador de um revival importante do terror, e especificamente do subgênero conhecido como slasher, em que assassinos brutais perseguem grupos de amigos crescentemente desesperados.

Por isso a pressão em cima da nova versão da história, dessa vez em formato de série. Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado, que chega ao Amazon Prime Video na próxima sexta-feira (15)ousa ao reinventar a icônica franquia para uma nova era -  e o elenco contou ao Omelete o que esperar desse remake.

Uma série "do seu tempo"

Até mais do que corresponder às expectativas dos fãs dos filmes, Eu Sei o Que Vocês Fizeram tinha o desafio de apresentar algo novo para o espectador que já viu as dúzias de imitações que a franquia e suas contemporâneas inspiraram. “Nossa showrunner [Sara Goodman] definiu perfeitamente: o filme original era um fruto do seu tempo, e a nossa série definitivamente também é. Acho que ela se encaixa muito bem no mundo atual, e no que as pessoas querem assistir hoje em dia”, comentou a protagonista Madison Iseman.

A atriz, conhecida por papéis em Jumanji e Annabelle 3, vive as gêmeas Lennon e Allison. As duas fazem parte do grupo de amigos que, na noite de sua formatura, matam uma pessoa atropelada e escondem o corpo. Um ano depois, Lennon volta para casa da faculdade e reencontra seus “cúmplices”, que logo percebem, enquanto os cadáveres se amontoam ao seu redor, que estão sendo perseguidos por um assassino em busca de vingança.

Parece a mesma premissa básica do original, mas esse remake tem muitas cartas na manga - entregá-las, no entanto, seria entrar em território de spoilers. Basta dizer que as relações entre os personagens, o histórico que eles têm uns com os outros, e os segredos que eles guardam, importam mais aqui do que importavam nos filmes.

Estrutura diferente

Madison Iseman e Ezekiel Goodman em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Até por ter mais tempo para desenvolver sua história do que os filmes, a nova Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado se aproxima um pouco mais do tom do livro original, de Lois Duncan, um suspense para jovens adultos que aposta no aprofundamento psicológico dos personagens ao invés de nos galões de sangue dos slasher. A autora, que morreu em 2016, provavelmente aprovaria - após o lançamento do filme, ela se disse “horrorizada” com as mudanças feitas pelo roteirista Kevin Williamson.

Temos uma temporada completa, oito episódios de uma hora, ao invés de apenas 1h30, 2h de filme. Com isso, vem a oportunidade de criar um thriller de ritmo mais deliberado - mas, dentro de cada episódio, há muitos momentos excitantes e provocantes. A série faz você querer assistir ao próximo capítulo, ela é muito ‘maratonável’, definiu Brianne Tju, que interpreta a jovem influencer Margot.

Sebastian Amoruso, o atlético Johnny da nova Eu Sei o Que Vocês Fizeram, explica ainda melhor essa estrutura: “Em um filme, você conta a sua história em três atos. Na nossa série, é como se cada episódio fosse um capítulo de um livro”.

Além dos estereótipos

Madison Iseman e Brianne Tju em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Esse tempo a mais é usado pela série para nos mostrar que todos os protagonistas têm uma face que não revelam em público. “Sabe, o que eu amo sobre a Margot, e sobre todos esses personagens, é que eles são uma pessoa na superfície, e outra pessoa por baixo dela. Eles escondem um eu mais verdadeiro, talvez mais sombrio. Essa dualidade foi muito interessante, como atriz”, contou Tju.

No começo, Margot parece ser só a sua típica garota popular, rica e festeira - mas ela tem um relacionamento difícil com os seus pais, e também luta contra problemas de saúde mental”, continuou.O que é interessante na série é como vemos a persona que ela cria para as redes sociais, mas também descobrimos o porquê de ela criar essa persona. É como um mecanismo de sobrevivência para ela.

Iseman concordou, brincando com o perigo de entregar spoilers: “Os personagens parecem muito reais, mesmo que estejam em uma circunstância muito extrema. Por isso, acho que a série tem um pouco de tudo - como público, você consegue se conectar com essas pessoas, mas também ficar totalmente chocado quando ‘blá-blá-blá’ faz ‘blá-blá-blá’, ou ‘blá-blá-blá’ morre”.

Nada de "melhor amigo gay"

Madison Iseman e Sebastian Amoruso em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Por falar em Margot, ela divide uma conexão intensa com Johnny, que é o principal personagem gay da trama - quando Lennon volta para a cidade, ele revela que está namorando com o professor de educação física da ex-escola do grupo. O clichê do “melhor amigo gay” passa longe do personagem, no entanto.

De forma similar ao que vemos nesse estereótipo, há um amor verdadeiro entre Margot e Johnny, uma intensidade emocional particular”, definiu ele.O que muda na nossa série, e eu não quero entregar spoilers demais, é que há mais profundidade nesses personagens. Eles têm histórias, nuances, que nem sempre vemos quando esse tipo de clichê está envolvido. E há mais algumas outras coisinhas que fazemos diferente…”

Preocupação social

Ashley Moore em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Outro aspecto que se destaca nos primeiros episódios de Eu Sei o Que Vocês Fizeram é a discussão sobre desigualdade, levantada principalmente em diálogos da personagem Riley, vivida por Ashley Moore. Enquanto a condição econômica dos outros protagonistas parece se localizar entre classe média e alta (no caso de Margot), ela é mostrada como uma jovem pobre que precisa vender drogas para sustentar a família, e que vive em uma comunidade sob constante ameaça de hostilidade policial.

Eu falei com Sara Goodman [a showrunner] sobre a condição social de Riley, porque queria entender melhor o passado dela, o porquê de ela estar na situação em que está”, contou Moore. Queria que isso fosse sublinhado na série, porque é algo que não faz parte da minha experiência de vida”.

É outra discussão que os filmes de Eu Sei o Que Vocês Fizeram ensaiavam (com o personagem Ray, de Freddie Prinze Jr.), mas na qual nunca se aprofundavam. A equipe da série viu o remake como uma oportunidade perfeita para corrigir isso.

Revisitando os clássicos

Madison Iseman em cena de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (Reprodução)

Apesar de todo esse esforço para se diferenciar dos originais, a nova série também não perde a chance de fazer referências a eles. A cena de abertura, em que - assim como no Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado de 1997 - a câmera passeia longamente por um litoral rochoso de mar agitado, mostra que este é um produto reverente às suas origens, que vai entregar a adrenalina que os fãs esperam (ainda que com um tempero bem diferente).

Eu definitivamente revi todos os filmes antes das nossas gravações começarem”, confessou Iseman. Mas sinto que talvez eu fosse fazer isso de qualquer maneira. É o que todo mundo fez na pandemia: reviu seus filmes favoritos”.

Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado estreia na próxima sexta-feira (15) no Amazon Prime Video, com os quatro primeiros episódios da temporada. O restante dos capítulos será lançado semanalmente, sempre às sextas, na plataforma.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.