DVD e Blu-ray

Entrevista

007 - Operação Skyfall | Omelete Entrevista Barbara Broccolli e Michael G. Wilson

"Queremos sempre fazer o melhor filme, mas naturalmente alguns são melhores que outros", disse a produtora

Pedro Caiado
12.03.2013, às 22H36
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H23
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H23

Para o lançamento de 007 - Operação Skyfall em DVD e Blu-ray, o Omelete foi convidado a viajar de Londres a Edinburgo a bordo do trem Skyfall. Além de apreciar a linda paisagem que vai da capital inglesa até a Escócia, pudemos conversar com pessoas envolvidas no filme. Barbara Broccolli e Michael G. Wilson, produtores e responsáveis pela bem sucedida série durante este últimos anos, estiveram por lá. Barbara é filha de um dos produtores originais da série, Albert R. Broccoli; Michael é seu meio-irmão.

007 - Operação Skyfall

None

007 - Operação Skyfall

None

007 - Operação Skyfall

None

007 - Operação Skyfall

None

007 - Operação Skyfall

None

Omelete - Por que esse filme foi o mais bem sucedido da serie?

Michael - Nós demos sorte. Não esperávamos que fosse tão bem sucedido. Ter sucesso comercial e critico é algo incrível.

Há muitas referências aos 50 anos da série neste filme. Vocês gastaram muito tempo pensando em como trazer estas homenagens para Skyfall?

Barbara - Nós ficamos muito animados com este aniversário e, por isso, queríamos fazer algo para os fãs. Em viagens, recebemos muito feedback dos fãs pelo mundo. Queríamos dar o máximo possível para celebrar esta data.

Por que escolheram esta história?

Barbara - Quando escolhemos uma história, pensamos em como levar o personagem emocionalmente a lugares em que ele nunca esteve e o ponto-chave nesta aventura era M. Ela é a única pessoa que representa autoridade e família para ele. Bond confia demais nela. Então, criar uma historia em que a personagem é tirada dele, seria algo grandioso. Foi uma idéia que nós e Sam [Mendes] gostamos bastante. Nós queremos sempre fazer o melhor filme, mas naturalmente alguns são melhores que outros.

Por que trazer Ms. Moneypenny de volta?

Barbara - Naomi é extraordinária. Ela desafia Bond como mulher e como colega agente, e esta é uma das personagens mais queridas da série. Entretanto, foi muito difícil achar alguém que poderia trazer uma nova interpretação a personagem. Ela, e o Daniel, têm uma ótima química. Aliás, Naomi provavelmente voltará.

O que John Logan (roteirista de O Último Samurai e Gladiador, confirmado para os próximos filmes) traz à série?

Barbara - Estes filmes são muito complicados de escrever. Rob, Neal e John trouxeram elementos muito específicos. Este é um roteiro que leva tempo para ser fechado, pois são muitos detalhes.

Aquela cena do flerte entre o vilão de Javier Barden e Bond, foi proposital?

Barbara - Aquela cena é o perfeito exemplo do poder que tem um ator dando vida ao roteiro. A cena era bem tensa no papel, mas eles vão a fundo totalmente. Aquele jogo entre os dois é o exemplo do típico jogo entre o vilão e Bond.

Michael - A performance de Barden foi vital neste filme. Ele trouxe muito humor negro. A forma como estes excelentes atores interpretam o roteiro é genial. Aquele cena mostra o jogo mental em um xadrez psicológico.

Em termos de explorar novos lugares para filmes de Bond, que tal ir para a América Latina, Brasil?

Barbara - Em Moonraker, com Roger Moore, fomos ao Rio, no Pão de Açúcar. Em Quantum of Solace, estivemos no Chile e no Panamá; América Latina sempre esteve nos nossos filmes, mas quem sabe Brasil não estará novamente?

007 - Operação Skyfall | Crítica

Leia mais sobre 007 - Operação Skyfall

Compre agora: Blu-rayDVD

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.