Entenda como o plano do Homem de Preto pode dar errado em Westworld

Créditos da imagem: Divulgação

Séries e TV

Artigo

Entenda como o plano do Homem de Preto pode dar errado em Westworld

Personagem encontrou seu propósito, mas pode ter sido tarde demais

Camila Sousa
27.04.2020
15h49

Com apenas um episódio para o fim da terceira temporada, Westworld aumentou suas apostas em “Passed Pawn”, capítulo que, de fato, colocou Caleb (Aaron Paul) no centro do plano de Dolores (Evan Rachel Wood) e também apresentou um novo plano, dessa vez de William/Homem de Preto (Ed Harris). No entanto, ainda que as intenções do personagem sejam "boas", ele pode ter chegado tarde demais.

[Spoilers de “Passed Pawn” abaixo]

Após literalmente encarar todas as suas versões e ser dado como morto, o personagem de Harris afirma que já confrontou todos os piores aspectos de sua, todos os erros e há só uma coisa pendente: a criação dos anfitriões. Com uma ideia até mais radical do que Serac (Vincent Cassel), que não vê problemas em usar os robôs quando lhe convém, o Homem de Preto acredita que precisa exterminar a raça de Dolores para sempre. O plano é bom, mas ele chega com certo atraso.

Desde que saiu do parque, a personagem de Rachel Wood deixou claro que quer criar um lar para sua raça e está disposta a morrer pelo caminho, se for necessário. Ela foi para o mundo real e descobriu que, de uma forma muito fria e calculista, vários humanos ali também eram condicionados a um certo estilo de vida, com suas “narrativas” já prontas. “Passed Pawn” mostra que Caleb e várias outras pessoas consideradas como um “problema” para o sistema de Solomon e Rehoboam foram “recondicionadas”, ou seja, passaram por uma lavagem cerebral que mudou suas memórias e percepções de mundo.

Caleb, assim como outros, pode ser considerado um anfitrião de um novo tipo. Um host de carne e osso que já teve livre escolha um dia, mas agora tem toda a sua vida coordenada por um sistema. Dolores sabe que provavelmente morrerá em sua jornada, por isso escolheu este humano que foi quebrado internamente para ser o líder deste novo lugar. E, após saber a verdade, após saber que cometeu atos terríveis por conta deste sistema, Caleb está pronto para iniciar sua revolução própria, que pode ser diferente da que Dolores previu, mas ainda assim terá o objetivo de destruir o sistema Rehoboam e tudo o que ele representa.

William deseja destruir todos os anfitriões, mas a luta agora não é apenas dos seres robóticos criados pela Delos. Agora a luta é de todos os humanos que tiveram suas vidas alteradas por um algoritmo. O desejo de vingança de Dolores não morrerá mais com ela e nem mesmo se todos os anfitriões do mundo forem destruídos, como William deseja. A humanidade está condenada por seus próprios atos e Caleb é a chave disso, como o próprio Bernard (Jeffrey Wright) deixa claro no episódio.

Além disso, o episódio merece destaque por suas grandes lutas, começando pelos retornos de Clementine (Angela Sarafyan) e Hanaryo (Tao Okamoto), até o começo do embate entre Dolores e Maeve (Thandie Newton), que o teaser já promete que terá uma continuação no season finale. 

Com tantas pontas soltas, Westworld deve terminar seu terceiro ano com um gancho para a já confirmada 4ª temporada, que promete ser o ápice do caos e destruição propostos por Dolores. Tomara que, neste caminho, a série retome a narrativa ousada das primeiras temporadas e não tenha receio de ser “complicada demais”

No Brasil, Westworld é transmitida aos domingos pela HBO, e os episódios inéditos também entram no catálogo do streaming HBO Go.