Jane the Virgin, da CW

Créditos da imagem: Jane the Virgin/CW/Divulgação

Séries e TV

Notícia

Estudo demonstra que mulheres em função de criação na TV contratam mais mulheres

Pesquisa mostra aumento da representatividade em séries com equipes mais diversificadas

Arthur Eloi
04.09.2019
18h35

Na produção televisiva ter mais mulheres por trás das câmeras aumenta o número de personagens femininas nas obras, segundo um estudo conduzido pela Universidade Estadual de San Diego. A pesquisa, que analisou 5.100 personagens de TV e 5 mil créditos da produção entre setembro de 2018 e maio de 2019, aponta que séries com pelo menos uma mulher em uma posição de criação (criadora/produtora-executiva/roteirista/diretora) costumam ter 49% de protagonismo feminino, e 33% de diretoras por trás das câmeras. Enquanto isso, seriados com criadores inteiramente masculinos tem 43% de protagonismo feminino e 23% de diretoras na equipe [via LA Times].

Empregar mulheres nestas funções aumenta a representação de mulheres em funções dos bastidores e também de personagens femininas nas telas”, constatou Martha Lauzen, a diretora-executiva do Centro de Estudos de Mulheres em TV e Cinema.

A pesquisa também aponta que o inverso nem sempre é real: mesmo com um aumento de personagens femininas na TV, mulheres ainda não ocupam tantas funções de alto nível na produção. O período observado trouxe 45% de personagens televisivas através de comédias, dramas e reality shows, mas apenas 31% de criadoras - como roteiristas, diretoras, produtoras-executivas, editoras, diretoras de fotografia.

Por fim, o estudo também deu alguns dados sobre as personagens: 70% delas em papéis com falas são brancas, enquanto a quantidade de personagens negras com falas caiu para 17%. Personagens latinas com falas representam 6% do total, e asiáticas fecham a composição com 7%.

Outro dado curioso é que mulheres da TV costumam ser mais novas do que homens, com 56% delas na faixa etária 20-30 anos, enquanto 59% dos personagens masculinos estão entre 30-40 anos.