Lovecraft Country: quando figurinos contam histórias

Créditos da imagem: Divulgação/HBO

Séries e TV

Entrevista

Lovecraft Country | Quando figurinos contam histórias

A designer Dayna Pink falou com exclusividade ao Omelete sobre a produção da série

Gabriel Avila
23.10.2020
18h40

Dentre as várias qualidades de Lovecraft Country, a série de terror da HBO, está seu figurino deslumbrante. Mais do que se apoiar em uma estética vintage, a produção levou em conta diversas influências para criar roupas que ajudam a contar a história dos personagens. Em entrevista ao Omelete, a designer de figurino Dayna Pink revelou que tudo começou com um grande estudo de fotografias da época de 1950:

“Fizemos muita pesquisa sobre pessoas reais da época. Meu escritório ficou cheio de fotos, algumas delas do icônico Gordon Parks e outros fotógrafos famosos. Eram apenas imagens de pessoas reais, então começamos daí. Depois parti para a moda atual e misturei os dois. Nem tudo precisava ser necessariamente da época, então mantivemos raízes nos anos 1950 mas adicionamos tecidos e peças modernas”.

Após escolher as mais diversas referências, o passo seguinte foi pensar nas pessoas que habitam o universo de Lovecraft Country. “Muitos dos cenários têm uma paleta mais suave em que tínhamos de vestir muita gente, por volta de quatro ou cinco mil pessoas durante a temporada, e cada uma tinha que mostrar como era estar naquela época. Então tínhamos uma parede de sapatos, chapéus, bolsas de mão e todo esse mar de belas roupas em tom creme”. Pink relembra que todo esse esforço foi idealizado para que os protagonistas se destacassem ainda mais. “Letitia (Jurnee Smollett-Bell) usa bastante vermelho, Atticus (Jonathan Majors) sempre aparece com um amarelo profundo. A ideia principal era criar esse realce”.

Cena de Lovecraft Country
Divulgação/HBO

Definidas as referências e o padrão das vestimentas, a equipe de figurinos passou a estudar e desenvolver as roupas de cada um dos personagens. Falando sobre isso, Dayna Pink voltou a utilizar Letitia como exemplo, já que a personagem utiliza a moda como forma de empoderamento. “Sua forma de vestir é como ela quer que você a veja. Ela definitivamente usa suas roupas como uma armadura, pensando sua aparência de forma que nunca sabemos exatamente o que há por baixo”.

E a mesma ideia vale também para os vilões. Como contraponto à personalidade expansiva de Letitia, Pink lembrou de Christina (Abbey Lee), a herdeira do clã Braitwait. “Christina também faz o mesmo. Ela é um pouco mais ríspida e comum, com raras exceções para uma situação ou outra. Ela é bem séria, enquanto Leti é mais descontraída e divertida. As roupas de Christina são lindas, mas nada divertidas”.

Jurnee Smollett-Bell e Abbey Lee em Lovecraft Country
Divulgação/HBO

Mais do que simplesmente deixar os personagens com visual deslumbrante ou descolado, o figurino também precisa levar em conta quais são as necessidades encontradas em cada cena. “É por isso que as Leti adora uma calça, certo? Porque ela não vai correr com uma saia”, afirmou.

Por fim, Dayna Pink revelou que um dos figurinos que mais ajuda a contar a história de seu dono é o robe dos Filhos de Adão. Mais do que um simples uniforme de uma seita secreta, a ideia por trás deles é revelar mais sobre personagens que pouco falam. “Pesquisamos todos os tipos de robes de diferentes épocas e meio que misturamos tudo o que gostamos, que nos aterrorizou e atribuímos significados. Por exemplo, é possível ver qual é o ranking da pessoa por quantos símbolos ela tem no robe. Então cada um tinha o seu, com suas próprias ‘medalhas’ e coisas assim".

Jonathan Majors em Lovecraft Country
Divulgação/HBO

A primeira temporada de Lovecraft Country chegou ao fim no último domingo (18). Os episódios já estão disponíveis para streaming no HBO Go.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.