Foto de If it's for my daughter...

Créditos da imagem: If it's for my daughter.../Maho Film/Divulgação

Séries e TV

Artigo

If it's for my daughter... | Anime vai por um caminho que pode incomodar

Conheça o anime que está dando o que falar

Fábio Garcia
18.07.2019
12h19

Observando os animes da atual temporada de verão no Japão, If it's for my daughter, I'd even defeat a Demon Lord (ou "Por minha filha eu derrotaria um Rei Demônio", numa tradução livre para o português) tem até uma premissa bem simples, a de um guerreiro que adota uma criança-demônio e passa a criá-la como seu pai adotivo.

As cenas com Dale criando a jovem Latina (esse é o nome dela mesmo) são fofas e a abertura tem cenas de batalha interessante com pai e filha lutando juntos, mas tenha cuidado! A julgar pelos volumes futuros da light novel que originou o anime, If it's for my daughter, I'd even defeat a Demon Lord vai por um caminho meio desconfortável para uma parcela do público.

A história

If it's for my daughter, I'd even defeat a Demon Lord se passa em um mundo medieval mágico (com umas pitadas de tecnologia, pois temos artefatos parecidos com tablets), e o protagonista é o mago Dale. Em uma de suas aventuras, ele encontra uma criança meio-demônia chamada Latina, ao lado do corpo morto de seu pai. Solidarizado com a situação, Dale leva Latina para a cidade e é convencido a se tornar seu pai adotivo.

No primeiro episódio, Dale ensina seu idioma a Latina, apresenta seus amigos adultos que funcionam como “tios” e tem até uma cena muito bonita do guerreiro dando um banho em Latina para tirar a sujeira e arrumá-la de acordo com o esperado para uma criança tão pequena. Durante os próximos capítulos da série, veremos estreitar ainda mais a relação de filha adotiva e pai nesse mundo fantástico, e em algum momento os dois começarão a lutar juntos nas aventuras: Dale como guerreiro principal e Latina como sua suporte. O problema vem depois disso.

Até o momento no Japão, a série tem oito volumes de light novel publicados, e a história avançou até chegar num ponto um pouco perturbador. Perto do terceiro volume da história, Latina, já crescida, passa a se interessar amorosamente por Dale, seu pai adotivo. E a coisa piora: o amor é tão recíproco que os dois se casam no volume 8!

Foto de If it's for my daughter...
If it's for my daughter.../Maho Film/Divulgação

A relação entre filha adotiva e pai não fica clara em momento algum no começo do anime. Não há qualquer indicativo sobre um futuro casamento, e a própria história tem aquele clima de anime sobre "as dificuldades de um pai solteiro". Isso pode causar uma confusão no público, e incomodar quem espera uma história delicada sobre um “pai solteiro” num mundo de fantasia. Afinal, mesmo sem qualquer relação de sangue, não dá para esquecer tão facilmente a relação paternal entre Dale e Latina.

Em vários fóruns na internet há decepção sobre esse spoiler da série. Em uma postagem no My Anime List, um dos principais redutos otakus da internet, houve quem pedisse para saber o futuro da história antes de embarcar na trama supostamente fofinha. Diante da capa do oitavo volume, com Latina de noiva pulando nos braços de Dale, a reação é um quase unânime: “essa relação é desnecessária para a história".

O caso Usagi Drop

O "sensor de história suspeita" dos otakus não disparou à toa com "If it's for my daughter...", todo mundo já foi "enganado" com um anime/mangá de sucesso há alguns anos.

Em Usagi Drop, o protagonista Daikichi (de 30 anos) adota a garota Rin (de 6 anos), uma filha perdida de seu avô, e no desenrolar da história acompanhamos Daikichi lidando com as dificuldades de ser um pai para Rin. Quando foi lançado o mangá, ou quando o anime estreou em 2011, todo mundo se encantou com a temática fofa da série e Usagi Drop foi bastante recomendada por público e crítica.

Porém, na metade da história, há um salto de dez anos no tempo, Rin agora tem 16 anos... e nutre sentimentos pelo seu pai adotivo. O final da história chega a ser perturbador para quem acompanhou o começo achando ser uma história leve entre um pai solteiro e uma garota adotada. A opinião pública pela série mudou radicalmente, e hoje em dia muita gente nem recomenda mais o título por saber do final controverso.

Para quem ainda assim quer assistir à If it's for my daughter, I'd even defeat a Demon Lord, já sabendo o que espera, o anime está disponível no Brasil oficialmente pela Crunchyroll.