Séries e TV

Crítica

Rick and Morty - 3ª Temporada | Crítica

Animação compensa a espera com alguns dos melhores episódios da série

Arthur Eloi
02.10.2017, às 13H16
ATUALIZADA EM 02.10.2017, ÀS 14H02
ATUALIZADA EM 02.10.2017, ÀS 14H02

Todo mundo quer reconhecimento, mas isso também pode ser uma maldição. É o caso da produção de Rick and Morty, que se viu pressionada a entregar algo no mesmo nível de qualidade altíssimo do segundo ano. Assim, os criadores Dan Harmon e Justin Roiland não esconderam o medo de fazer feio e decepcionar o público, deixando claro a dificuldade em roteirizar os novos capítulos. Foi assim que, após alguns atrasos e muitas declarações no Twitter, que a terceira temporada só estreou de surpresa.

Continuar o gancho que o programa havia deixado é um desafio por si só: a conclusão do ano dois dá muito espaço para que Rick and Morty se afundasse na própria mitologia, de forma que a narrativa fosse mais linear. Enquanto isso não acontece de vez, há vários episódios que dão indícios de que a animação está tramando algo maior de fundo.

É a temporada que dá mais destaque à elementos da lore, como a versão perversa de Morty, a verdadeira personalidade de Beth ou o arco de crescimento de Morty, finalmente se revoltando contra o avô. Um verdadeiro prato cheio para quem gosta de bolar teorias, algo que o próprio Harmon já afirmou gostar que os fãs façam - apesar de garantir que sua ideia é manter a fórmula de "aventura da semana" ao invés de chegar a uma conclusão.

Esse formato também rende bons resultados: a terceira temporada é uma das mais experimentais quando se trata de temas abordados. Em dez episódios, a série entretém com referências e espetáculo visual, como quando Rick se torna um pepino e vai matar ratos no esgoto, mas também questiona, com comentários que vão desde o estado dos filmes de super-heróis até racismo e as relações de poder nos Estados Unidos - ilustrado com uma citadela povoada apenas por diferentes versões de Ricks e Mortys.

Muitos dos fãs acreditam que é a graça de Rick and Morty é o humor baseado em questões filosóficas e profundas, mas a terceira temporada deixa claro que o ápice do programa é quando consegue equilibrar seus comentários céticos e niilistas com sua mitologia sci-fi e, é claro, comédia visual e improvisada. Tendo isso em mente, a produção entrega uma de suas melhores temporadas em que até os capítulos pensados para encher linguiça, como "Morty's Mind Blowers", consegue divertir pelo espetáculo e também levar a questionamentos.

O terceiro ano de Rick and Morty é um dos mais fortes de toda a série. O tempo e a preocupação que a equipe teve para atender as expectativas do público é notável, e resulta em dez capítulos com bom ritmo e ótimas piadas, sem nunca se esquecer da visão cética e pensativa que ajudaram a animação a se destacar entre tantas outras. Considerando o encerramento, é certo dizer que vai demorar um pouco até vermos uma quarta temporada, mas pelo menos agora sabemos que, no caso de Rick and Morty, a espera compensa.

Rick and Morty
Em andamento (2013- )
Rick and Morty
Em andamento (2013- )

Criado por: Dan Harmon, Justin Roiland

Duração: 5 temporadas

Nota do Crítico
Ótimo

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.