Anitta no Rock in Rio/Mauro Pimentel/AFP

Créditos da imagem: Mauro Pimentel/AFP

Música

Notícia

Malévola vai ao Rock in Rio em sábado de funk e pop

Festival teve ação com global vestida de vilã e funk em vários palcos

Tereza Novaes
06.10.2019
08h04
Atualizada em
06.10.2019
08h30
Atualizada em 06.10.2019 às 08h30

Reencarnada na atriz Agatha Moreira, Malévola deu um rasante na Game Play Arena, espaço da XP Games dentro do Rock in Rio, na noite de sábado. A estrela global foi promover a continuação do filme, que estreia dia 17.

Ao sair da Arena em direção ao chafariz da Cidade do Rock, Agatha foi bastante assediada. As pessoas, no entanto, gritavam por Josiane, a malvada que ela interpreta na novela das 21h, A Dona do Pedaço. Ela estava acompanhada do influenciador Hugo Gloss, que deu spoiller ao aparecer caracterizado de Conall, novo personagem da franquia.

A tiara de chifrinhos da maior vilã da história da Disney, febre nos outros dias do festival, também foram distribuída ao público durante a ação.

Enquanto isso, na TV, dois apresentadores do Multishow deram o que falar. China, que estava à frente do palco Sunset, foi às lágrimas logo após a abertura, uma homenagem aos 30 anos de funk, que reuniu Fernanda Abreu, Buchecha e Ludmilla e uma orquestra.

"É caro um ingresso e essa galera vem dançar música periférica até o chão. Eu sou um entusiasta da música e da cultura brasileira. Ver o que aconteceu aqui hoje foi uma coisa indescritível", disse China, com a voz embargada. "Mete cultura que vai nascer um monte de flor bonita. A gente viu o Brasil sorrindo um pouquinho aqui. Naturalmente, eu não sou um cara do funk, mas a gente se emociona muito. É desse jeito que a gente vai mudar o país, é com muita cultura".

O baile foi realmente bonito. A galera não economizou forças e rebolou muito debaixo do sol a pino. MC Kevinho cancelou na última hora, mas não tirou o brilho do encontro, um grande medley do estilo no qual não faltaram nem os hits de Anitta.

Depois, enquanto aguardava a Poderosa entrar no palco Mundo, Titi Müller causou e entrou para os trending topics. "A galera tá pedindo Anitta demais", disse, direcionando o microfone para o público, que xingava Jair Bolsonaro, algo que se tornou corriqueiro na Cidade do Rock.

Pouco antes da abertura dos portões, foi a vez de Anitta ironizar no Instagram. "Olha, tem um palco que fica tocando rock o tempo inteiro para você que não gosta de mim ou das outras pessoas que vão tocar. Dá pra vir aqui e ouvir só rock. Olha que legal", disse, enquanto passeava pelo espaço.

Fato que o gênero que dá nome ao festival foi pouco ouvido. Se no dia anterior o metal e as cores escuras haviam dominado, o arco-íris apareceu com força e a comunidade LGBTQI+ mostrou sua alegria e força.

A noite ainda teve mais dois bailes funks, um comandado por Cidinho e Doca, no espaço Favela, para onde a galera migrou após o show de Anitta. No palco eletrônico, mais dois clássicos, DJ Marlboro e DJ Meme, dividiram as pick-ups.

Os destaques internacionais da noite mais pop desta edição foram Black Eyed Peas, com um simpatissíssimo Will.I.Am demonstrando todo seu amor pelo Brasil e trazendo Anitta de volta ao palco. Eles cantaram "Don't Lie"e "Explosion", parceria com a brasileira. O blaster hit "I Gotta Feeling" foi o grand finale.

P!nk fechou a noite lacrando muito. Fez um show cheio de empatia com a causa gay, mostrou muita energia nos vocais e fez um passeio aéreo pelo público de cair o queixo. Deixou o palco ovacionada e conquistou de vez o coração dos fãs brasileiros.