Ryan Reynolds e Blake Lively doam US$ 1 milhão para caridade em meio ao COVID-19

Créditos da imagem: Angela Weiss/AFP

Filmes

Notícia

Ryan Reynolds e Blake Lively doam US$ 1 milhão para caridade em meio ao COVID-19

Casal de atores dividiu valor entre entidades do Canadá e dos Estados Unidos

Nicolaos Garófalo
16.03.2020
22h57
Atualizada em
24.03.2020
10h30
Atualizada em 24.03.2020 às 10h30

Em resposta à pandemia do coronavírus, o casal hollywoodiano Ryan Reynolds (Esquadrão 6) e Blake Lively (Um Pequeno Favor) anunciou que doará US$ 1 milhão a duas diferentes instituições de caridade dos Estados Unidos e Canadá. As organizações, Feeding America e Food Banks Canada, cuidam da distribuição de comida para pessoas carentes e doentes e, de acordo com o comunicado do astro, precisam de ajuda financeira por causa dos vários casos de COVID 19.

Em um post no Instagram, Reynolds pediu para que seus seguidores “tomem conta de seus corpos e corações. Deixem espaço para alegria. Liguem para alguém em isolamento que pode precisar da conexão”. Para deixar o clima mais leve, o ator ainda deixou um número falso de celular do colega e amigo Hugh Jackman – confira:

Embora o número de casos do COVID-19 no Canadá ainda seja relativamente baixo em relação ao resto do mundo, 407 (via The Globe and Mail), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA já registra mais de 3480 casos e teve, atualmente, estado de emergência decretado pelo presidente Donald Trump.

Efeito Coronavírus na cultura pop

O COVID-19 é uma nova mutação da família coronavírus que está se espalhando em ritmo alarmante desde dezembro de 2019. A China foi o primeiro país vítima da epidemia, com infecções e mortes confirmadas em todas as suas províncias. Desde então, a presença do vírus foi confirmada em quatro continentes - incluindo a América do Sul, com casos no Brasil, Argentina e Chile.

Filmes como Pedro Coelho 2 e 007 - Sem Tempo Para Morrer tiveram suas estreias adiadas por causa da pandemia. Entre 13 e 15 de março, os Estados Unidos registraram sua pior arrecadação em 20 anos nas bilheterias.