HQ/Livros

Artigo

A Morte do Superman | Quatro Super-Homens

Superciborgue, Superboy, Aço e Erradicador disputam o legado do Homem de Aço

Rodrigo Piolho
17.11.2012
18h30
Atualizada em
21.09.2014
13h13
Atualizada em 21.09.2014 às 13h13

Leia antes, A morte do Super-Homem

O Super-Homem morreu!

Erradicador

None
Erradicador

Aço

None
Aço

Superciborgue

None
Superciborgue

Superboy

None
Superboy

Bom! Pelo menos por alguns meses. A coisa rendeu bem. A DC Comics publicou seu velório e enterro (Funeral para um amigo) e uma série bizarra e também meia-boca, onde o herói encontra-se no além-túmulo com seu dois pais, o terrestre e o kryptoniano (Super-Homem: Além da Morte). Tudo isso preparando o caminho para a maxi-saga O Retorno do Super-Homem.

O RETORNO DOS SUPER-HOMENS

Meses depois da morte do Super-Homem, a DC devolver a personagem às luzes da ribalta, desta vez anunciando o seu retorno. Nem bem o corpo havia esfriado e sua volta já era programada.

Para mostrar o retorno do maior herói de todos os tempos, foi convocada a mesma equipe responsável pela morte, com Karl Kesel substituindo Jerry Ordway nos roteiros de Adventures of Superman. À equipe juntaram-se o escritor Gerard Jones, o desenhista Mark Bright e o arte-finalista Romeo Tanghal, responsáveis, na época, pelo título do Lanterna Verde.

Enquanto o Super não vinha, a editora decidiu aproveitar ao máximo sua ausência para criar heróis derivados, que poderiam trazer futuros rendimentos. Para isso, a saga do retorno do Homem de Aço seria mais longa, mais abrangente e envolveria mais personagens, muitos deles fazendo sua estréia na história.

No Brasil, para a publicação original, a editora Abril optou por agregar as 20 histórias que compõem a saga do Retorno do Super-Homem em três edições mensais, cada uma com um número em torno de 160 páginas. A exemplo do que aconteceu em A Morte do Super-Homem, uma campanha de publicidade como poucas já feitas pela editora foi veiculada na imprensa. Para garantir a festa, a primeira edição vinha dentro de um pacote com brindes, tais como fichas e pôsteres dos principais protagonistas, além de um fac-símile da histórica Action Comics 1. Os leitores menos afortunados, no entanto, podiam adquirir a edição fora do pacotão, por uma quantia consideravelmente mais razoável.

OS CANDIDATOS AO TRONO

A trama do Retorno do Super-Homem começa em Action Comics 687. A história "Renascer" mostra a aparição do primeiro justiceiro que clama ser o Super-Homem ressuscitado. Usando a famosa capa vermelha e o S estilizado no peito, mas com um uniforme ligeiramente diferente do original e visores sobre os olhos, o misterioso herói aparece do nada em Metrópolis, combatendo o crime de uma maneira que não honra muito o legado do Super-Homem, mas deixa todo mundo com uma pulga atrás da orelha. Especialmente Lois Lane, que, numa rápida conversa, descobre que ele sabia de coisas que apenas o verdadeiro Super-Homem conhecia.

A trama continua em Superman 78. A história "Vivo" mostra o surgimento do Super-Homem ciborgue, que invade o laboratório Cadmus com o intuito de recuperar o corpo morto de Apocalypse e bani-lo no espaço. Ao voltar à Terra, ele tem um encontro com Lois Lane e também comprova carregar certas memórias das quais apenas o verdadeiro Super-Homem poderia se lembrar. A repórter acaba levando o Superciborgue à casa do professor Hamilton que, depois de realizar uma série de exames nele - inclusive testes de DNA - atesta que aquele seria o Super-Homem redivivo.

Adventures of Superman 501 trás a continuação da saga, mostrando a terceira pessoa que diz ser o Super-Homem. Pelo menos, em um primeiro momento. "... Quando ele era menino" é a estréia da nova versão do Superboy - que chegou a ter série própria nos Estados Unidos por quase dez anos e hoje em dia pode ser visto nas páginas de Young Justice. De cara, o garoto já descarta a possibilidade de ser a reencarnação do Super-Homem. Na verdade, seria um clone, gerado através dos dados obtidos pelo Cadmus no breve período em que o corpo do Super estivera lá. Mais tarde, seria revelado que não se tratava de um clone do Kryptoniano, mas de um dos diretores do Cadmus com poderes telecinéticos.

Finalmente, Aço fecha a primeira parte da saga, em Man of Steel 22. A história introduz John Henry Irons, um cientista que conclui que, com o vácuo deixado pelo Super-Homem, Metrópolis precisa de um herói que honre seu legado. Como acredita que nenhum dos pseudo-Super-Homens esteja à altura de missão, constroi para si uma armadura na qual ostenta o S estilizado no peito como homenagem ao herói que, um dia, salvara sua vida. Ao contrário dos outros Super-Homens, no entanto, Irons nunca alegou ser uma reencarnação do herói falecido ou relacionado a ele.

Com cada um dos candidatos ao título de verdadeiro Super-Homem devidamente apresentado, O retorno do Super-Homem continua em "Olho por olho" (Action Comics 689). Indignado com o sem-número de vigilantes que teimam em afirmar que são o verdadeiro Super-Homem, Guy Gardner vai a Metrópolis para investigar toda essa bagunça. Para seu azar, logo de cara. entra em conflito com o primeiro dos novos Super-Homens (o do visor). Na luta que se segue, em que ambos acabam ajudando a desbaratar uma gangue traficante de armas, Guy se convence de que aquele homem seria uma versão melhorada do Super-Homem, o que acaba fazendo com que o misterioso justiceiro comece a questionar a validade de seus atos.

Aço e o Superboy têm seu primeiro encontro em "Emboscada" (Man of Steel 23). Na trama, o herói de armadura está à caça da Coelha Branca - nada a ver com a atrapalhada inimiga do Homem-Aranha - uma traficante de armas que está negociando uma poderosa arma de fogo havia desenvolvida pelo próprio John Henry, quando ele ainda trabalhava para o governo dos Estados Unidos. Graças à criminosa - que mais tarde soubemos se tratar de uma ex-amante e colega de Irons - a guerra de gangues em Metrópolis estava fazendo cada vez mais vítimas inocentes. Apesar da aliança, nem mesmo a força combinada dos dois Super-Homens impede que a Coelha fuja no final.

"Prove", publicada originalmente em Superman 79, fecha a primeira edição de O Retorno do Super-Homem publicada no Brasil. A história mostra o repórter Ronald Troupe, possível candidato à vaga aberta na redação do Planeta devido ao falecimento de Clark Kent, descrevendo como o Super-Homem ciborgue havia impedido um ataque terrorista à Casa Branca e, conseqüentemente, salvado a vida do presidente Bill Clinton.

Conclui em O retorno do Super-Homem

Compre aqui A Morte do Superman Volume 1 | A Morte do Superman Volume 2

[artigo originalmente publicado em novembro de 2002]