Capa de Amazing Spider-Man 129/Marvel

Créditos da imagem: Marvel Comics/Divulgação

HQ/Livros

Notícia

Criador do Justiceiro criará campanha para ajudar Black Lives Matter

Gerry Conway não quer mais ver símbolo do personagem associado à violência policial

Nicolaos Garófalo
05.06.2020
22h39
Atualizada em
10.06.2020
20h11
Atualizada em 10.06.2020 às 20h11

Após uma campanha online revelar que policiais norte-americanos têm usado o símbolo do Justiceiro em seus uniformes durante a repressão dos protestos pelo Black Lives Matter, Gerry Conway, criador do personagem, disse que criará uma campanha para desassociar a caveira de Frank Castle da brutalidade policial. Pelo Twitter, o quadrinista convocou artistas não-brancos para “reivindicar a caveira como um símbolo de justiça ao invés de [um ícone para] opressão ilegal policial” – veja abaixo (via CBR):

Conway não anunciou qual seria o projeto, mas essa não é a primeira vez que se opõe à visão associa o Justiceiro à força policial. Em janeiro de 2019, ele afirmou que “não importa se você acredita que o Justiceiro tem motivos ou não, ou se você admira seu código ético, ele é um fora-da-lei e um criminoso. A polícia não deveria usar o símbolo de um criminoso".

A questão chegou a ser abordada em uma HQ do Justiceiro, que mostrou Frank Castle rasgando um adesivo com sua caveira colada em uma viatura e exigiu que os policiais nunca mais a utilizassem. Relembre aqui.

[Atualização] Pelo Twitter, Conway divulgou o projeto Skulls for Justice (“caveiras pela justiça”, em inglês), que traz camisetas com versões personalizadas do logo do Justiceiro. As peças, vendidas por US$ 19, terão 100% do valor revertido para o Black Lives Matter (via CBM).

No site da campanha, Conway disse que o símbolo que criou tem sido usado por tempo demais por opressores para intimidar cidadãos negros. “Esse é um símbolo de uma falha sistemática da justiça igualitária. Está na hora de retomar este símbolo por esta causa e pelo Black Lives Matter”. [Fim da atualização]

Em 25 de maio de 2020, o ex-segurança negro George Floyd, já sob custódia, foi sufocado até a morte por um policial e o assassinato foi filmado por pessoas em volta. A brutalidade da ação gerou uma onda de protestos ao redor dos EUA e diversas empresas do ramo do entretenimento repudiaram o racismo demonstrado pela polícia – saiba mais.