HQ/Livros

Notícia

Editora Conrad é vendida, mas produção de quadrinhos será mantida

Grupo IBEP-Companhia Editora Nacional promete que editora manterá sua identidade

Érico Assis
06.02.2009
13h00
Atualizada em
11.12.2016
05h10
Atualizada em 11.12.2016 às 05h10

A venda da Editora Conrad para o grupo IBEP-Companhia Editora Nacional foi confirmada nesta quinta-feira por um comunicado conjunto das novas parceiras. Ainda este mês a Conrad passa a funcionar junto à sede do grupo comprador, no bairro do Jaguaré, em São Paulo.

A confirmação encerra meses de especulação sobre o destino da Conrad. Em notícias iniciais, ela seria vendida para outro grupo editorial, a Ediouro. A negociação com a IBEP começou a circular como rumor no final de 2008. Nos últimos meses do ano, a Conrad publicou pouquíssimas obras, e leitores temiam que se ela se juntaria à lista de editoras de quadrinhos afetadas pela crise econômica.

A IBEP, por sua vez, tem uma tradição de livros didáticos - aqueles que você provavelmente usou no 1º e no 2º grau. Já a Companhia Editora Nacional, que a IBEP comprou em 1980, é uma empresa fundada pelo escritor Monteiro Lobato há mais de 80 anos, sendo um dos marcos da história editorial brasileira por revolucionar a publicação de literatura internacional e nacional no país.

A Conrad continuará sendo dirigida por um de seus fundadores, Rogério de Campos. O comunicado conjunto com a IBEP garante que a editora preservará "sua identidade editorial, estrutura comercial e regime operacional".

Em entrevista ao Blog dos Quadrinhos, Campos diz que vai retomar a produção de mangás e outros quadrinhos exatamente do ponto em que pararam. Foram citadas as séries Battle Royale, Monster, Sanctuary e Bambi, que voltarão em breve.