HQ/Livros

Notícia

Criador do Motoqueiro Fantasma perde processo contra a Marvel

Gary Friedrich alegava que idealizou o personagem antes de trabalhar para editora

Érico Assis
10.06.2010, às 00H00
ATUALIZADA EM 18.11.2016, ÀS 07H06
ATUALIZADA EM 18.11.2016, ÀS 07H06

Em 2007, o escritor de quadrinhos Gary Friedrich processou a Marvel querendo de volta os direitos sobre o personagem Motoqueiro Fantasma - na época, prestes a chegar aos cinemas. O processo se estendia à Sony Pictures, produtora do filme, à criadora do game do Motoqueiro e à Hasbro, dos bonecos licenciados.

Friedrich alegava que havia criado o personagem antes de trabalhar para a Marvel, e tinha direito a tê-lo de volta a partir de 2001, com base numa interpretação da lei dos EUA.

Ghost Rider

None

Recentemente, um tribunal confirmou que o caso não tem fundamento, segundo o site Comics Commentary. No ano passado, um juiz já havia recomendado a retirada da acusação contra a Marvel. A interpretação das cortes é de que o personagem foi criado dentro das leis de "work-for-hire" (trabalho contratado) e, portanto, é de propriedade da Marvel.

O Comics Commentary cita rumores de um acordo extra-judicial entre Friedrich e os acusados, até o momento não confirmados.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.