Filmes

Artigo

Oscar 2018 | Conheça os indicados a Melhor Filme

Cerimônia será realizada em 4 de março

Natália Bridi
26.02.2018
11h06
Atualizada em
03.08.2018
16h41
Atualizada em 03.08.2018 às 16h41

A 90ª edição do Oscar será realizada no próximo dia 4 de março, e o preparamos um especial explicando as categorias do prêmio. Agora vamos entender melhor o prêmio de Melhor Filme.

MELHOR FILME

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas entrega a honraria desde a sua primeira edição, em 1929. O prêmio vai para os principais produtores do filme (com um limite de três estatuetas) e essa é a única categoria na qual todos os membros da Academia podem votar (prêmios como Melhor Som, por exemplo, são determinados por profissionais especializados). O número de indicados varia desde a primeira edição, chegando até 12 entre as décadas de 30 e o início dos anos 40 e sendo fixado em cinco em 1945. Em 2009, o número subiu novamente, podendo chegar até dez em um sistema de voto por ranqueamento. Para ser indicado, cada filme precisa aparecer em primeiro lugar em 5% dos rankings dos votantes. Na edição de 2018, a premiação conta com 9 longas-metragem indicados na categoria

Me Chame Pelo Seu Nome

Dirigido por Luca Guadagnino e escrito por James Ivory, adapta o livro homônimo de André Aciman. Situado em 1983, o filme acompanha a relação entre o adolescente Elio Perlman (Timothée Chalamet) e o assistente americano do seu pai, o universitário Oliver (Armie Hammer), em um verão no norte da Itália. Em desenvolvimento desde 2007, quando os produtores Peter Spears e Howard Rosenman comparam os direitos de adaptação ao cinema do livro de Aciman, o longa demorou para sair do papel. Gabriele Muccino, Ferzan Özpetek e Sam Taylor-Johnson foram cotados para a direção e Guadagnino rejeitou a primeira oferta para comandar o longa por conflitos de agenda, aceitando ser apenas consultor de locação para o filme. Logo depois, Guadagnino propôs co-dirigir a produção ao lado de Ivory, que trabalhava no roteiro, mas por pressão de um dos financiadores, que temiam conflitos durante as filmagens entre os dois diretores, o italiano assumiu a tarefa sozinho, com Ivory permanecendo envolvido em outros aspectos da produção. As filmagens começaram em 2016 com um orçamento de US$ 3,5 milhões. A co-produção entre Itália, França, EUA e Brasil (pela RT Features de Rodrigo Teixeira) fez a sua estreia em janeiro de 2017 durante o Festival de Sundance e arrecadou US$ 27,45 milhões mundialmente. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Canção (“Mystery of Love", de Sufjan Stevens), Melhor Roteiro Adaptado (James Ivory) e Melhor Ator (Timothée Chalamet) - leia a crítica.

O Destino de Uma Nação

Dirigido por Joe Wright e escrito por Anthony McCarten, o filme narra os momentos que marcaram a nomeação de Winston Churchill (Gary Oldman) a Primeiro-Ministro do Reino Unido e como suas decisões definiram o destino do país durante a Segunda Guerra Mundial. A produção da Working Title Films foi anunciada em fevereiro de 2015 e as filmagens foram iniciadas em novembro de 2016. Para viver Churchill, Oldman tirou o maquiador Kazuhiro Tsuji da aposentadoria, passando por mais de 200 horas de maquiagem e fumando mais de 400 charutos (com custo total de US$ 30 mil) durante as filmagens. Com um orçamento de US$ 30 milhões, o filme fez sua estreia em setembro de 2017, passando pelos festivais de Telluride e Toronto e já arrecadou mais de US$ 131,7 milhões mundialmente. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Cabelo e Maquiagem (Kazuhiro Tsuji, David Malinowski, Lucy Sibbick), Melhor Ator (Gary Oldman), Melhor Fotografia (Bruno Delbonnel), Melhor Figurino (Jacqueline Durran) e Melhor Design de Produção (Sarah Greenwood, Katie Spencer) - leia a crítica.

Dunkirk

Escrito, dirigido e coproduzido por Christopher Nolan, o filme rodado em 65 mm mostra a evacuação da praia de Dunkirk durante a Segunda Guerra Mundial por três perspectivas: terra, mar e ar. Para garantir o realismo da produção, o diretor usou navios e aviões da época, além dar preferência a efeitos práticos e escalar milhares de figurantes. Com um orçamento de US$ 100 milhões, as filmagens começaram em maio de 2016 e terminaram em setembro do mesmo ano, dando início ao processo de pós-produção. A estreia aconteceu em 21 de julho de 2017 nos EUA e o filme arrecadou mundialmente US$ 525,57 milhões. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Montagem (Lee Smith), Melhor Trilha Sonora (Hans Zimmer), Melhor Edição de Som (Richard King, Alex Gibson), Melhor Direção (Christopher Nolan), Melhor Fotografia (Hoyte Van Hoytema), Melhor Mixagem de Som (Gregg Landaker, Gary Rizzo, Mark Weingarten), e Melhor Design de Produção (Nathan Crowley, Gary Fettis) - leia a crítica


Corra!

Escrito e dirigido por Jordan Peele, o filme mistura elementos de horror e ficção científica para contar a história de Chris (Daniel Kaluuya), um homem negro que descobre um segredo perturbador quando viaja para conhecer os pais da sua namorada branca (Allison Williams). O filme fez sua estreia no Festival de Sundance, em janeiro de 2017, e chegou aos cinemas dos EUA em 24 de fevereiro. Com um orçamento de US$ 4,5 milhões, bancado principalmente pela Blumhouse Productions (mesma produtora de Atividade Paranormal e Whiplash), Corra! foi um dos filmes mais lucrativos de 2017, chegando a um total de US$ 255,01 na bilheteria mundial. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Ator (Daniel Kaluuya), Melhor Direção (Jordan Peele) e Melhor Roteiro Original (Jordan Peele) - leia a crítica.

Lady Bird - A Hora de Voar

Escrito e dirigido por Greta Gerwig, o filme parcialmente autobiográfico narra a jornada de amadurecimento de Christine “Lady Bird” McPherson (Saoirse Ronan) e os conflitos com sua mãe (Laurie Metcalf) no seu último ano de escola. Gerwig usou seus anuários escolares, fotos e diários na preparação do elenco, além de ter feito um tour por Sacramento (sua cidade natal e o cenário do filme). O longa foi exibido pela primeira vez em setembro de 2017, passando pelos festivais de Telluride e Toronto, chegando aos cinemas dos EUA em novembro. Com um orçamento de US$ 10 milhões, arrecadou mundialmente US$ 48,73 milhões. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado Melhor Atriz (Saoirse Ronan), Melhor Atriz Coadjuvante (Laurie Metcalf), Melhor Direção (Greta Gerwig) e Melhor Roteiro Original (Greta Gerwig) - leia a crítica.

Trama Fantasma

Escrito e dirigido por Paul Thomas Anderson, o filme narra a complicada relação entre um costureiro (Daniel Day-Lewis, no que seria a sua última performance antes da aposentadoria) e uma garçonete (Vicky Krieps) transformada por ele em modelo e amante. É o primeiro longa rodado por PTA fora dos EUA e próprio cineasta assumiu a direção de fotografia do longa porque Robert Elswit, seu colaborador de longa data, estava indisponível (não há crédito, porém, para a direção de fotografia pois teria sido um trabalho colaborativo, segundo Anderson). Com um orçamento de US$ 35 milhões, o longa estreou em dezembro de 2017 nos EUA e arrecadou US$ 28,45 mundialmente. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Ator (Daniel Day-Lewis), Melhor Atriz Coadjuvante (Lesley Manville), Melhor Trilha Sonora (Jonny Greenwood), Melhor Figurino (Mark Bridges) e Melhor Direção (Paul Thomas Anderson) - leia a crítica.

The Post - A Guerra Secreta

Escrito por Liz Hannah e Josh Singer e dirigido e produzido por Steven Spielberg, o filme narra a história dos Pentagon Papers, documentos que continham diversas informações militares sigilosas sobre as ações dos EUA no Vietnã, e a luta do The Washington Post para desafiar o governo dos EUA e levar a informação para o público. Spielberg comandou o longa enquanto cuidava da pós-produção de Jogador Número Um porque o cineasta queria rodar o filme o quanto antes. “Essa era uma história que precisava contar agora”, justificou, com a história da década de 70 fazendo um paralelo direto a ascensão de Donald Trump ao poder. Com um orçamento de US$ 50 milhões, o filme estreou em dezembro de 2017 nos EUA e arrecadou mundialmente US$ 135 milhões. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Atriz (Meryl Streep) - leia a crítica.

A Forma da Água

Guillermo del Toro dirigiu e escreveu o roteiro com Vanessa Taylor em uma história inspirada pelo clássico O Monstro da Lagoa Negra, mas que mostra com outros olhos o romance entre uma humana e a criatura. Segundo Del Toro, o filme foi como uma cura: “Em nove filmes eu reformulei os medos e sonhos da minha infância e essa é a primeira vez que falo como um adulto sobre algo que me preocupa enquanto adulto. Falo sobre confiança, diferenças, sexo, amor, para onde estamos indo” (via IndieWire). O diretor precisou desistir da sua ideia inicial de rodar o filme em preto e branco para garantir o orçamento de quase US$ 20 milhões, mas manteve a classificação indicativa para maiores de 18 anos. O longa teve sua estreia no Festival de Veneza, em agosto de 2017, de onde saiu com o Leão de Ouro de Melhor Filme e faturou US$ 95,76 milhões mundialmente. Campeão de indicações no Oscar 2018, presente em 13 categorias, também aparece nas categorias de Melhor Direção (Guillermo del Toro), Melhor Atriz (Sally Hawkins), Melhor Ator Coadjuvante (Richard Jenkins), Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer), Melhor Trilha Sonora (Alexandre Desplat), Melhor Roteiro Original (Guillermo del Toro, Vanessa Taylor), Melhor Fotografia (Dan Laustsen), Melhor Figurino (Luis Sequeira), Melhor Edição de Som (Nathan Robitaille, Nelson Ferreira), Melhor Mixagem de Som (Christian T. Cooke, Glen Gauthier, Brad Zoern), Melhor Montagem (Sidney Wolinsky), e Melhor Design de Produção (Paul D. Austerberry, Shane Vieau, Jeffrey A. Melvin) - leia a crítica.

Três Anúncios Para um Crime

Escrito e dirigido por Martin McDonagh, o filme as consequências do ato desesperado de uma mãe para buscar o responsável pela morte da filha: alugar três billboards próximos da sua casa para cobrar o xerife local. O cineasta britânico conta que teve a ideia para ao filme ao ver o mesmo tipo de anúncio em uma estrada no Sul dos EUA: “A raiva que colocou aqueles anúncios era palpável e ficou comigo”, explica. O filme foi rodado em 33 dias com um orçamento de US$ 12 milhões e estreou nos cinemas dos EUA em 10 de novembro, somando US$ 114,64 na bilheteria mundial. Além da categoria de Melhor Filme, está indicado a Melhor Atriz (Frances McDormand), Melhor Ator Coadjuvante (Sam Rockwell), Melhor Ator Coadjuvante (Woody Harrelson), Melhor Trilha Sonora (Carter Burwell), Melhor Roteiro (Martin McDonagh), Melhor Montagem (Jon Gregory) - leia a crítica.

O Oscar 2018 será apresentado novamente por Jimmy Kimmel, com cobertura completa do Omelete no site e nas redes sociais.