Oscar 2020 | Entenda por que Coringa foi indicado a Melhor Roteiro Adaptado

Créditos da imagem: Divulgação/Warner Bros.

Filmes

Artigo

Oscar 2020 | Entenda por que Coringa foi indicado a Melhor Roteiro Adaptado

Fãs ficaram confusos com a indicação, já que história não é uma adaptação direta de nenhuma história do vilão

Gabriel Avila
30.01.2020
19h00
Atualizada em
30.01.2020
18h58
Atualizada em 30.01.2020 às 18h58

Após ser premiado no tradicional Festival de Veneza e quebrar recordes de bilheteria, Coringa voltou aos holofotes após receber 11 indicações no Oscar 2020. Porém, a indicação a Melhor Roteiro Adaptado causou confusão entre os fãs. Afinal, a história criada por Todd Phillips e Scott Silver não é uma adaptação direta de nenhum quadrinho. Pelo contrário, ela cria uma origem totalmente nova para o palhaço vivido por Joaquin Phoenix. Então por que a dupla não concorre a Melhor Roteiro Original?

A diferença entre as categorias é simples. Enquanto Melhor Roteiro Original premia histórias inéditas, o troféu de Melhor Roteiro Adaptado é entregue para filmes baseados em outras obras, sejam livros, peças de teatro, HQs, e até mesmo artigos de jornal. Entretanto, existem regras específicas que caracterizam histórias completamente originais como um Roteiro Adaptado. Sequências, por exemplo, são considerados adaptações por partirem de uma obra pré-existente. Um dos casos mais famosos é a indicação de Toy Story 3, que mesmo contando uma aventura inédita de Woody e seus amigos, se aproveitava de personagens apresentados anteriormente em outro longa.

Outra especificação está na utilização de personagens originários de outras obras. Borat!, o falso documentário estrelado por Sasha Baron Cohen, recebeu indicação na categoria pois seu protagonista é um personagem original do seriado britânico Da Ali G Show. O mesmo raciocínio vale para o Coringa. A Academia o indicou como Melhor Roteiro Adaptado pois o filme se apropria de vários elementos estabelecidos nas revistas da DC Comics. Não apenas a figura do Palhaço do Crime, mas também a ambientação em Gotham e a participação dos Wayne qualificam o filme como uma adaptação - mesmo que Todd Phillips se negue a relacionar o sucesso da produção com o Batman.

Os filmes baseados em HQ no Oscar

Além de Coringa, quatro produções baseadas em HQs receberam indicação como Melhor Roteiro Adaptado. São eles Ghost World - Aprendendo a Viver (2002), Anti-Herói Americano (2004), Marcas da Violência (2006) e Logan (2018), sendo este o primeiro filme de super-heróis a receber nomeação na categoria. Concorrendo com filmes de peso como O Irlandês, Jojo Rabbit, Adoráveis Mulheres e Dois Papas, o longa baseado em um dos maiores vilões do Universo DC não é franco favorito, mas se vencer fará história como o primeiro longa inspirado em quadrinhos a levar a estatueta para casa.

A história da categoria na premiação

Ainda que paralelas, as categorias têm trajetórias distintas no Oscar. Em sua primeira edição, a premiação contava com a extinta categoria Melhor História e Melhor Roteiro Adaptado, que no ano seguinte foram fundidas na categoria Melhor Roteiro. Após um ano com troféu único, a organização voltou a premiar História e Roteiro separadamente até 1941. Na ocasião, houve a separação de Roteiro em duas categorias, premiando Melhor História, Melhor Roteiro Original e Melhor Roteiro Adaptado. A última modificação aconteceu em 1957, quando a Academia combinou Melhor História e Melhor Roteiro Original, encerrando a confusão entre as múltiplas categorias.