Filmes

Notícia

Oscar 2016 | Academia pode mexer nas regras para aumentar a representação de minorias étnicas

Jornal diz que a organização estuda ampliar o número de indicados a melhor filme e também nas categorias de atuação

Omelete
2 min de leitura
Marcelo Hessel
21.01.2016, às 14H13
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H43
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H43

A falta de representação negra no Oscar 2016 já está gerando boicotes - Spike Lee, Jada Pinkett Smith e Will Smith aderiram ao #OscarSoWhite e anunciaram que não vão à cerimônia - e pode provocar mudanças no sistema de categorias da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

None

Na segunda-feira, a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, que é negra, fez um pronunciamento dizendo que "esta é uma conversa difícil mas importante, e é hora para grandes mudanças". Segundo o jornal The New York Times, fontes dizem que a organização do Oscar já estuda aumentar imediatamente o número de indicados a melhor filme para 10 longas (neste ano são oito). Pela regra vigente desde 2010, podem ser finalistas de cinco a dez filmes; para entrar, um filme precisa ser o favorito de pelo menos 5% dos votantes.

Outra mudança, menos provável, que tem circulado nos últimos dias seria aumentar para oito ou mesmo dez o número de indicados nas categorias de atuação. Defensores da medida acreditam que isso aumentaria as chances de representantes negros, latino e asiáticos emplacarem na premiação, mas o formato com cinco indicados nas categorias de atuação é um dos mais antigos do Oscar e está em vigência desde os anos 1930.

O jornal diz ainda que o conselho da Academia se reunirá na próxima terça-feira e deve discutir formas de abordar o assunto.

A cerimônia de entrega acontece em 28 de fevereiro.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.