Netflix

Notícia

Dark | Entenda o final da série mais complexa da Netflix

Produção alemã encerrou seu último ciclo na terceira temporada

Gabriel Avila
29.06.2020
17h30
Atualizada em
29.06.2020
19h26
Atualizada em 29.06.2020 às 19h26

Desde sua estreia em 2017, a série Dark causou um grande alvoroço entre os fãs. A série alemã da Netflix, que começa com misteriosos desaparecimentos na pacata cidade de Widen, se revelou como uma ousada ficção científica que incorporou várias teorias da vida real para abordar as famosas viagens no tempo. Quando parecia ter chegado ao fim dessa exploração, a produção surpreendeu novamente ao revelar, no final de sua segunda temporada, a existência de um universo paralelo que de alguma forma poderia estar ligado ao eterno ciclo que fatalmente causa o apocalipse.

Dessa forma, Dark chegou ao seu terceiro e último ano devendo explicações para o público que dedicou anos fazendo anotações e teorias. Assim como em toda a sua jornada, a série alemã da Netflix entregou um final cheio de surpresas e reviravoltas, que podem ser um pouco confusas. Por isso detalhamos abaixo tudo que aconteceu no fim da série - mas fique atento, está cheio de spoilers!

[Cuidado com spoilers do final de Dark a partir daqui]

Na terceira temporada, finalmente é revelado que toda a trama de Dark é resultado de uma rivalidade entre Adam (Dietrich Hollinderbäumer), o Jonas da Terra que acompanhamos, e Eva (Barbara Nüsse), a Martha do universo alternativo. Enquanto ele quer causar o apocalipse nos dois mundos para finalmente chegar ao Paraíso, ela quer ao menos salvar sua própria Terra. Nisso os dois criam um ciclo que está condenado a se repetir eternamente.

Os dois acreditam que a ligação entre seus dois mundos é o filho que tiveram juntos. Esse filho, que não tem nome e é reconhecido por sua cicatriz na boca, é o centro dos planos dos dois. Enquanto Eva faz de tudo para que ele viva e sirva de aliado, Adam tenta matá-lo ainda no ventre de uma jovem Martha. Acontece que ambos conseguem cumprir seus objetivos, e ainda assim nada muda porque o nó que une os dois universos não é o filho. Essa descoberta é feita por Claudia Tiedemann que, pela primeira vez, une forças com seu inimigo Adam para quebrar esse ciclo.

A verdadeira conexão entre os mundos vem de um terceiro universo após um trágico acidente de carro levar a família do relojoeiro H.G. Tannhaus. Transtornado pelo luto, ele então coloca em prática suas pesquisas sobre a viagem no tempo para tentar salvar a seu filho Marek, a esposa e a filhinha. Quando vai colocar suas descobertas em prática, ele cria não apenas a viagem no tempo, mas os dois universos mostrados na série.

Para impedir toda a desgraça que toma conta dos dois mundos, é preciso voltar para a 1986 desse primeiro universo e impedir que Tannhaus abra a passagem. Portanto, para que os ciclos finalmente terminem, é preciso impedir o acidente que matou a família do relojoeiro.

Para isso, Adam resgata o Jonas poucos momentos ante do apocalipse, mudando o destino do garoto, que até então funcionava como uma espécie de "Gato de Schrödinger". Quando o apocalipse cai sobre Widen, Jonas seria A) resgatado pela Martha, levado para outro universo e morreria; ou B) sobreviveria sozinho e fatalmente se tornaria Adam. Pela primeira vez na eternidade, o garoto é tirado da caixa e finalmente pode consertar tudo.

O plano consiste em levar Jonas e Martha para o mundo de origem e impedir a morte da família Tannhaus. Essa viagem só é possível durante o apocalipse, pois nesse momento o tempo pára e interrompe a cadeia de causa e efeito que mantém o nó eternamente intacto. Como a série explica, tudo está predestinado a acontecer, já que cada ação gera uma reação e nisso a ligação se fortalece, podendo ser quebrada apenas quando o tempo é pausado.

A viagem é bem-sucedida, a dupla chega à 1986 do mundo de origem e impede que Marek siga viagem com sua família. Primeiro eles tentam enganá-lo afirmando que a ponte em que morreriam está bloqueada, para finalmente dizer que H.G. Tannhaus os ama e por isso deveriam voltar para ele. Assim, tanto Marek quanto sua esposa Sonja e sua filha Charlotte retornam para a casa de seu pai, que nunca começa uma pesquisa sobre viagem no tempo.

 

O paraíso

Após a missão chegar ao fim, os mundos de ambos vão sumindo. Tanto a Terra de Adam quanto a de Eva desaparecem, restando apenas o mundo de origem, que se torna o tal “paraíso” que Adam sempre procurou.

A última cena da série mostra como ficou a cidade de Widen do único mundo que sobreviveu. Restaram uma Regina, a filha de Claudia que dessa vez está saudável, Katharina, Peter e a ex-amante, Hannah e o policial Torben. Eles só estão vivos pois suas trajetórias não sofrem interferência de viajantes do tempo, sendo assim a prova do que Claudia disse: nem todos faziam parte do nó que unia os dois mundos.

A partir do momento em que a viagem no tempo deixa de existir, muitos dos personagens - como por exemplo Ulrich e seus filhos Martha, Magnus e Mikkel - não podem existir, já que são descendentes de viajantes no tempo. Assim, a série chega ao fim mostrando alguns dos que escaparam do nó que finalmente foi desatado e indicando que ainda assim Jonas pode vir a existir, já que Hannah está grávida e diz que esse é um nome que sempre achou bonito.

 

Como Claudia descobriu a origem?

A principal motivação de Claudia para atuar no embate entre Adam e Eva é impedir a morte de sua filha Regina, algo que acontece nos dois mundos. Ao refletir sobre isso, ela percebe que nem todos os envolvidos na trama estão ligados ao tal nó que une os dois universos. Sendo assim, existia a possibilidade de ambos serem uma espécie de "câncer" que saiu de um terceiro. Ela então seguiu essa investigação sobre o "Terceiro Mundo" em segredo enquanto mantinha o nó intacto para não ser impedida nem pelo Sic Mundus nem pelos aliados de Eva.

O que significa a visão que Jonas e Martha tiveram?
Na viagem para o mundo de origem, Jonas e Martha tem uma visão. Cada um vê uma versão infantil do outro por uma porta. Enquanto ele vê uma pequena Martha o encarando de fora de um guarda-roupas, ela vê Jonas ainda criança chamando a olhando pelo portão de sua casa.

Enigmáticas, as visões não tem uma explicação 100% concreta. A principal teoria é a de que a dupla já viveu esse momento em suas infâncias, indicando que a travessia para o mundo de origem está destinada a acontecer de fato. As versões "mirins" enxergá-los seria uma prova de que os adultos já fizeram a transição, indicando que independente do resultado da travessia, ela estava fadada a ser feita.