Taylor Swift, Seventeen e mais: Os melhores álbuns de 2023

Créditos da imagem: Divulgação e Montagem/Omelete

Música

Lista

Taylor Swift, Seventeen e mais: Os melhores álbuns de 2023

Confira os favoritos da redação do Omelete

Omelete
1 min de leitura
22.12.2023, às 17H32
ATUALIZADA EM 24.12.2023, ÀS 12H04
ATUALIZADA EM 24.12.2023, ÀS 12H04

Depois de listarmos as melhores séries de 2023, chegou a vez de olharmos para a música deste ano, que foi cheio de novidades -- incluindo algumas que não eram exatamente novas, mas foram tão marcantes que conquistaram um lugar nesta lista. 

Confira abaixo os nossos álbuns favoritos de 2023:

 

Um Quebrada Inteligente — Kyan e MU540

No meio de uma indústria completamente plastificada e comercial, é sempre importante saudar os que fazem diferente. Em seu álbum mais recente, o rapper Kyan se une ao DJ MU540 para dar vida a um de seus projetos mais nostálgicos: Um Quebrada Inteligente. Com sete faixas inéditas, o rapper remonta o cotidiano e sonhos de muitos jovens das periferias da Grande São Paulo. Da ostentação ao protesto, o álbum levanta pautas contínuas nas comunidades e é certamente um dos melhores lançamentos de 2023. - Por Pedro Henrique Ribeiro

Lana Del Rey - Did You Know That There's a Tunnel Under Ocean Blvd

Trazendo ainda mais o piano pra frente - uma empreitada que já está em curso há alguns álbuns -, Lana Del Rey fez em seu nono lançamento de estúdio uma jornada linda de acompanhar, uma repleta de atmosferas e climas diferentes. Depois dos ótimos singles "A&W" e a faixa-título, Did You Know That There's a Tunnel Under Ocean Blvd revelou uma Lana mais aberta a colaborações livres e mais vulnerável, em letras que parecem revelar um pouco mais do seu passado, sempre meio estranho e misterioso. Com um pouquinho de polêmica e bons acenos a faixas já lançadas, Did You Know é um exemplo de Lana mais madura e bem resolvida com o seu estilo tão único. - Por Ju Sabbaga

FML - Seventeen

Ano após ano, o Seventeen prova que o seu auge está longe de ter ficado no passado. O combo de diversidade sonora e performances poderosas faz do FML um marco na trajetória do grupo, e músicas como “Super” já nascem como clássicos dentro e fora do fandom (do MV às performances ao vivo, a canção é um espetáculo à parte). A faixa que dá nome ao álbum, “F*ck My Life”, é exatamente o oposto do que o título sugere e traz a combinação de uma melodia relaxante com versos cheios de significado. “Fire”, canção da hip-hop unit, conquista pelo carisma (a versão apresentada na turnê que o diga!), e “I Don’t Understand But I Luv U” é provavelmente a melhor performance vocal que a unit formada por The8, Jun, Dino e Hoshi já entregou. “Dust” e “April Shower” fecham o disco com clima contagiante, reafirmando o lugar do Seventeen entre os maiores nomes do gênero e com muito mais para mostrar pela frente. - Por Le Cangane

Phantasy - The Boyz

De certa forma, era uma questão de tempo até que o The Boyz, um dos grupos mais consistentemente brilhantes do k-pop desde sua estreia (lá em 2017), lançasse um “disco do ano”. Bom, em 2023 a espera acabou, porque o Phantasy - lançado em duas partes, a primeira em agosto e a segunda em novembro - é uma coleção impecável de diamantes pop cheios de ganchos açucarados (oi, “Passion Fruit”); uma ode à multidisciplinaridade dos recursos e referências históricas de seus produtores (“Lip Gloss” e “Watch It” não poderiam ser músicas mais distintas, mas são levadas pelo mesmo baixo malicioso); um atestado do talento, estilo e personalidade dos integrantes do grupo (vide as lindas harmonias de “Escape”); e um resgate daquilo que a música pop faz de melhor: nos vender uma deliciosa fantasia. Pode me considerar um freguês satisfeito. - Por Caio Coletti

boygenius - the record

Por mais que não tenham faltado bons lançamentos em 2023, o álbum que me prendeu mesmo foi o the record, do trio formado por Phoebe Bridgers, Julian Baker e Lucy Dacus. Com letras tão honestas que, às vezes, doem — sim, estou me referindo a “True Blue” e “Cool About It” —, o disco é íntimo e acolhedor, como se as três tornassem públicas páginas de um diário compartilhado com os fãs. Não à toa, o disco virou um totem do subgênero sad girl music. - Por Mariana Canhisares

1989 (Taylor’s Version)

Muitos vão falar que o 5º álbum de estúdio de Taylor Swift não deveria estar aqui, mas é quase impossível deixar o 1989 (Taylor’s Version) de lado. A quarta regravação dos álbuns da cantora traz mais profundidade para suas canções, e mostra o crescimento musical da mesma, tanto na qualidade da produção de cada uma das canções como também nos próprios vocais da mesma. A euforia e o brilho do álbum são realçados ainda mais com sua nova versão, dando mais impacto para os clássicos "Blank Space" e "Style", e um destaque especial para a belíssima "Clean". Além disso, alguns até podem não gostar das faixas "from the vault" do álbum, mas é quase um crime não falar sobre "Say Don't Go" e toda a sua melancolia e tensão, que a tornam uma das melhores faixas extras do álbum. - Por Ju Melguiso

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.