Música

Artigo

Mark Ronson | Conheça o produtor do novo disco do Queens of the Stone Age

De Adele a Bruno Mars, Ronson é o produtor pop pra deixar o rock dançante

Jacídio Junior
04.07.2017
17h46
Atualizada em
04.07.2017
18h00
Atualizada em 04.07.2017 às 18h00

O Queens of the Stone Age está fazendo suspense sobre o seu álbum, Villains. O disco que já foi finalizado pelo grupo e chega às lojas e serviços de streaming no dia 25 de agosto, tem ganhado pequenas amostras por meio de teasers, o single “The Way I Used To Do” e a inédita "The Evil Has Landed" apresentada em um show no Canadá. Mas nem só de música vive o hype construído por Josh Homme em torno do novo disco.  O frontman também já confirmou que o novo projeto deve ser dançante e que a produção ficou sob a batuta de Mark Ronson, possivelmente um dos nomes mais influentes da música pop dos últimos anos.

Mark Ronson produtor do novo disco do QOTSA

Assim, para entender o que Ronson pode agregar à sonoridade do QOTSA, é interessante pensar no que ele já fez e como ele aplica seu conhecimento com as pessoas que trabalha. O produtor responsável por colocar Amy Winehouse nos holofotes, é um rapaz nascido em Londres, mas que aos oito anos se mudou para Nova York. Começou sua carreira na música como DJ, tocando em clubes fora do centro da Big Apple e algum tempo depois conseguiu chamar a atenção de figurões do rap e do hip-hop norte-americano como P Diddy para só então conseguir mostrar sua música.

Depois desse processo, Ronson levou um tempo até começar a produzir, e então partir para seus próprios discos. Seu primeiro álbum, Here Comes the Fuzz (2003), foi bem avaliado pela crítica, mas não vendeu muito bem. Version (2007), seu segundo projeto, composto por versões de faixas como “God Put Smile On Your Face”, do Coldplay, e “Toxic” de Britney Spears, foi sucesso de venda e crítica e deu ainda mais evidência ao seu trabalho sonoro com elementos de Big Band que, no ano anterior, havia alavancado a carreira de Amy Winehouse.

Nessa fase, Ronson já havia trabalhado com Macy Gray, estava caminhando para produzir algumas faixas no primeiro disco de Adele e seguiu para parcerias importantes com Kaiser Chiefs, Duran Duran, Black Lips, Paul McCartney, o último de Lady Gaga e Unorthodox Jukebox, de Bruno Mars, que abriu as portas para um de seus hits mais marcantes, “Uptown Funk”, faixa que compõe seu disco de inéditas mais recente, Uptown Special (2015), e rendeu diversos prêmios, mas é definida pelo profissional como um dos projetos mais demorados que já trabalhou. A pressão para chegar ao resultado que ele queria foi tanta que Ronson chegou a desmaiar no intervalo de uma sessão de gravação.

Mark Ronson e Amy Winehouse

Em conjunto com todas estas credenciais, o produtor do novo disco do QOTSA, atualmente com 42 anos, carrega sobre os ombros o status de um dos grandes produtores da música pop e de um dos músicos de maior sucesso da música pop contemporânea inglesa, justamente por criar conteúdos ideais para tocar no rádio, mas sempre mantendo um toque de originalidade.

Conhecimento musical
Não bastasse o amplo range de grupos e sonoridades que Ronson já trabalhou, o anglo-americano se destaca ainda mais por trazer conhecimento musical de berço. Seu pai é um nome conhecido do mercado musical londrino enquanto seu padrasto, Mick Jones, guitarrista do Foreigner, foi um rockstar. Ronson comenta que quando criança, enquanto Jones trabalhava no estúdio, ele costumava passar algumas horas por lá e respondia perguntas sobre o que sentia em relação às músicas. “Eu estava destinado a ser um rato de estúdio”, afirma.

Agora, é aguardar para saber como essa mistura entre o conhecimento musical e mercadológico de Ronson vai se apresentar em conjunto com a sonoridade de uma das bandas de rock mais interessantes dos últimos anos.

Villains, sétimo disco da carreira do Queens of the Stone Age, chega às lojas no dia 25 de agosto.
 
Leia mais sobre Queens of the Stone Age
Leia mais sobre Mark Ronson