Jacidio, who? | Rihanna quer dominar as paradas de e-music, diz Alesso

Créditos da imagem: Rihanna/Reprodução

Música

Artigo

Jacidio, who? | Rihanna quer dominar as paradas de e-music, diz Alesso

Black Eyed Peas está em mais uma treta de plágio, Avicii deixou 10 faixas prontas com Nile Rodgers e lançamentos de KAYTRANADA, The Crystal Method e as festas do final de semana

Jacídio Junior
04.10.2018
13h09

E aí gente linda, tudo bem com vocês? Semana tranquila, certo? Então, hoje aqui tá parecendo coluna de música pop, tem a Rihanna querendo dominar os charts, Black Eyed Peas com mais um processo de plágio, mas também tem os lançamentos mais bacanas da semana com o disco bacanudo do Crystal Method, mais uma do KAYTRANADA pra dançar sem parar e muito mais. É só chegar que hoje tem.

Rihanna está planejando tomar os charts da e-music, afirma Alesso

Rihanna é uma das artistas pop mainstream que melhor trabalha nos diferentes campos da música. Sem medo de buscar novas referências e flertando com sonoridades que costumam fugir dos pontos que a tornaram conhecida, parece que seu retorno deve acontecer com diversos elementos da EDM, de acordo com entrevista de Alesso ao jornal britânico Daily Star.

Alesso afirmou que a artista barbadiana está cooptando nomes como Calvin Harris, David Guetta, Diplo e Martin Garrix pára seu novo disco.

“Eu ouvi dizer que ela quer dominar os charts de música eletrônica. Nós temos alguns amigos em comum, então vamos ver como isso vai rolar”, destaca o DJ sueco na Dancing Astrounaut. O projeto ainda não tem previsão de lançamento definido. Resta aos fãs de Rihanna e da música eletrônica aguardar pra ver como essa receita vai funcionar.

Avicii deixou dez faixas trabalhadas com Nile Rodgers

Nile Rodgers, membro-fundador do CHIC, comentou em entrevista ao The Sun que ele e Avicii (Tim Bergling) criaram aproximadamento 10 faixas antes da morte prematura do DJ e produtor sueco.

A dupla trabalhou nas músicas durante sessões secretas nas quais criaram conteúdo suficiente para um álbum "extraordinário". No entanto, Rodgers afirma que não deve lançar o material sem que as precauções necessárias sejam tomadas.

“Eu fui perguntado sobre lançar minhas coisas, mas preciso ver como isso vai funcionar. Eu era muito próximo ao Tim e as músicas que nós não lançamos eram extraordinárias”. Até o momento nenhuma ideia de quando o projeto será lançado foi divulgada, já que o artista parece reticente sobre como realizar isso de forma que o trabalho “seja [realizado] para beneficiar as pessoas que Tim gostaria que o projeto viesse a benefiar”.

Black Eyed Peas é acusado de plágio (de novo) por produtor de e-music

Mais uma vez o Black Eyed Peas se envolveu em um imbróglio por acusação de plágio. Dessa vez o DJ e produtor inglês Lone em conjunto com a gravadora R&S Records acusam o BEP de terem utilizado um trecho da faixa “Airglow Fires” em seu novo single "Constant Part 1 & 2" (o link para a comparação está logo abaixo). Lone, em contato com a Resident Advisor, contou que tinha ficado sabendo do plágio há algumas semanas e segue: “Nem preciso dizer que isso me tirou do sério… [...] isso é um roubo descarado, sem dúvida”.

Antes da divulgação da música, de acordo com um representante da R&S, ninguém do Black Eyed Peas ou da Universal (gravadora do grupo) entrou em contato. Pra pegar essa nova treta é só dar o play aí embaixo. O trecho em disputa na faixa do BEP está a partir de 2’41’’ ouça aqui . A faixa de Lone está aqui.

Disco da semana: The Crystal Method - The Trip Home

The Crystal Method não é um produtor padrão. Sua sonoridade sempre entregou elementos que dialogam com as pistas, mas sem que o peso de instrumentos ligados ao rock e sons orgânicos ficassem de fora. O antes duo, agora composto somente por Scott Kirkland, retorna depois de um hiato de quatro anos com The Trip Home, disco que apresenta alguns de seus principais elementos sonoros, colocando em evidência a maturidade musical das escolhas, mas sem deixar de acenar ao pop, como em “Ghost In The City”, tudo com originalidade e assinatura.

Com isso Kirkland mostra que entende muito bem como criar ideias capazes de construir caminhos capazes de dialogar de forma direta com o rádio, a pista e os fones.

Um detalhe interessante de ser percebido no decorrer das 12 faixas é a dinâmica das faixas que variam entre momentos mais densos e dançantes e composições leves, como se propositalmente o produtor quisesse levar o ouvinte de um ponto para outro no espectro sonoro, mas tudo sem solavancos, apenas pela mágica construída faixa a faixa.

Exemplos disso ficam por conta da saída de “Turbulence” para “Carry On” e “The Drive Inside”. Um detalhe que chama a atenção como parte do “molho sonoro” é a inserção de sintetizadores na medida, sem sobrar ou faltar, mas ideal para criar a sensação (em alguns momentos) de se estar ouvindo a trilha de um jogo de videogame ou qualquer série que emule um clima 80/90.

É uma mistura tão bacana de sonoridades, criada sob medida para ampliar o conceito de como fazer e entregar música eletrônica, com nuances de rock, pop, e outras sonoridades que ao final dos quase 50 minutos só resta apertar o repeat.

Dá o play, sem pressa, que esse é um disco para ouvir de cabo a rabo.

Set da semana: Paul Oakenfold b2b Carl Cox at Stonehenge

Existem sets que a gente precisa ouvir e ver não só pelo som, mas pelo que eles representam. E esse back to back de Paul Oakenfold e Carl Cox no Stonehenge já entrou para os grandes momentos da história da música eletrônica. Temos um dos principais nomes do Trance junto a um dos principais nomes do Techno em uma parceria inusitada, e até mesmo impensada, rolando em um dos lugares mais interessantes da história da humanidade. Falando da sonoridade, o set fica mais naquele esquema de abertura de pista, mas vale a pena curtir, ver e ouvir. Bota no fullscreen, dá o play e vai ser feliz.

Lançamentos e descobertas da semana:

KAYTRANADA - “WAITIN 115 BPM”

Quando um artista começa a fazer sentido pra gente, praticamente tudo que ele coloca na prateleira se torna ouro e com o canadense KAYTRANADA não é diferente. O produtor entregou recentemente o remix de “Waitin”, faixa presente no disco de Kelela, e tem tudo que a gente gosta. Nuances, swing, graves e quebras. Bem além do básico. Pode dar o play que a alegria é garantida. É só chegar aqui.

The Chemical Brothers - “Free Yourself”

O Chemical Brothers é daqueles projetos que estão na estrada há tanto tempo que é, praticamente, impossível não ter ouvido falar ou alguma faixa deles. Porém, um detalhe interessante é que eles mantêm a relevância do som que produzem quase sem nenhum erro de percurso e “Free Yourself” está nessa categoria. Misturando alguns dos elementos mais interessantes da sonoridade dos britânicos a faixa apresenta àquela pegada forte de pista sem que a mágica fique perdida. Pra sentir o drama é só dar o play aqui.

Mall Grab - EP How the Dogs Chill, Vol. 1

Mall Grab é daqueles produtores prodígio que encontram uma forma rápida de assinar seu som e tocar para públicos variados. Isso até poderia parecer algo ruim, mas seu novo EP, How the Dogs Chill, Vol.1 dá uma boa mostra de que ele entende bem de mistura. Trabalhando texturas e sonoridades da década de 90, elementos que vão do breakbeat, jungle ao Techno, o produtor mostra que sabe fazer bem seu som e colocar todo mundo pra dançar. Pra curtir é só dar o play aqui.

Andrew Bayer  - “Immortal Lover (In My Next Life Mix)”

Falei recentemente do novo disco do Andrew Bayer (In My Last Life) e só consigo dizer que ele é um dos nomes mais interessantes dentro da produção de música eletrônica com melodia e mensagem. Agora o cara libera esse remix de uma das faixas mais bonitas do álbum e consegue dar ainda mais nuances e quebras para algo que já era absolutamente bonito. Dá o play aqui que a mágica acontece.

Vamos dançar onde?

Semana calma, com boas possibilidades para o momento pré-eleição. Nomes conhecidos e boas festas rolam em SP, tudo na medida pra não cansar muito. Dá só uma olhada.

Começamos na quinta (4) com mais uma edição da Moving na D-EDGE que apresenta Kolombo e seu set matador. O rolê começa às 23h59 e tudo que você precisa saber está bem aqui.

Na sexta (5), também na D-EDGE, rola mais uma edição especial da festa DJ Marky & Friends dessa vez com a participação de Makoto + Mari Rossi. Noite pesada, com certeza de grandes momentos e que deve navegar por zonas absolutamente inspiradoras da música. A festa começa às 22h, então prepare as pernas que o negócio é nonstop. As informações estão bem aqui.

No sábado (6), o negócio começa enquanto o sol ainda está no céu.  A ODD realiza uma edição gratuita, na praça - local divulgado no dia - com o line composto por Davis, Frontinn Vermelho e Tati Lisbon. É bom se preparar para chegar cedo, já que o primeiro play acontece às 15h e tudo está marcado para acabar às 22h. Todos os dados do evento estão aqui.

Ainda no sábado, à tarde, rola mais uma edição da BABEL (MAREH MUSIC). A festa focada em uma sonoridade mais ampla, com elementos da black music norte-americana e tudo mais que complementa essa identidade sonora começa às 16h e apresenta como destaques o norte-americano DJ GE-OLOGY mais o DJ Fiervo. O local ainda não foi divulgado, mas o rolê deve ir até à meia-noite. Os dados estão todos aqui.

Por hoje é isso. Final de semana tranquilo, com boas possibilidades pra dançar e curtir. Nos vemos na semana que vem. Fui.