Música

Artigo

Jacidio, who? | Faixas póstumas de Avicii e Haruki Murakami como DJ

Ainda, turnê do Swedish House Mafia e o ressurgimento do techno

Jacídio Junior
10.08.2018
15h23
Atualizada em
10.08.2018
15h53
Atualizada em 10.08.2018 às 15h53

Hallo, como estão as coisas pra este final de semana incrível? Hoje, como sempre, temos notícias pra todos os gostos. Desde o autor ganhador do Nobel de Literatura, Haruki Murakami, estreando como DJ, até a possibilidade iminente de novas faixas de Avicii. Ah, tem muita música nova, selecionada e algumas das festas mais legais para os próximos dias. Então, pega o fone de ouvido e chega mais.

Avicii

Avicii
Avicii/The Perfect World Foundation

Coprodutor de Avicii está finalizando faixas póstumas

A gente abre os trabalhos de hoje com mais uma notícia referente a faixas inéditas de Avicii. Carl Falk, coprodutor de algumas músicas do DJ sueco, compartilhou (via post no Instagram) que está trabalhando na finalização de faixas de Tim Bergling. Usando a hashtag Heaven, Falk deu a pista de que tem dedicado seu tempo a música tocada por Nick Romero em um festival holandês e que conta com vocais de Chris Martin - ouça aqui.

“Ontem foi um dia estranho e emocional, tentando terminar essas músicas. Produzir sem você ao meu lado não é a mesma coisa. Sinto a falta de você dando pitaco atrás do meu ombro, questionando cada pequeno detalhe. #avicii  #heaven”, escreveu Falk, em post já apagado.

De acordo com informações da DJ Mag ainda existe outra versão de "Heaven" que conta com os vocais de Simon Aldred, do Cherry Ghost.  Vale destacar que Carl Falk é um compositor e produtor sueco que trabalhou em diversos momentos com Avicii, inclusive no álbum Stories (2015) e também com nomes do pop como Jason Derulo, Madonna, Ariana Grande entre outros.

Na esteira deste desdobramento, agora via Phouse, o padastro de Avicii, Tommy Körberg, culpou o manager do artista por sua morte. “Quando a ganância e a estupidez atuam lado a lado, tudo pode acontecer, especialmente coisas ruins. Você não marca 900 apresentações em oito anos para um rapaz jovem”. E seguiu, “Se o Tim tivesse assinado com uma empresa profissional, ele ainda estaria vivo”. Para entender um pouco melhor o relacionamento manager-artista entre Tim e Ash Pournouri vale assistir o documentário True Stories.

Carl Cox comenta que a EDM é um dos principais motivos para o “retorno” do Techno

Hoje a coluna só está falando de lendas. E quando se pensa em lenda da música eletrônica, Carl Cox precisa estar nisso. O DJ/Produtor britânico, em entrevista recente ao The Guardian, na qual falou sobre diversos momentos de sua vida como um profissional da música eletrônica foi enfático ao afirmar que a EDM teve um papel importante no ressurgimento do Techno. Sim, o Techno está com tudo, já tem algum tempo, mas de uns dois anos pra cá, as festas têm crescido cada vez mais. É só ver que o selo Resistance tem vida própria e alguns festivais dedicados exclusivamente ao gênero estão cada vez maiores.

Voltando a Cox, na conversa ele comenta que a “EDM tem uma energia enorme. Mas se você pensar nos últimos cinco anos, se você foi ver qualquer DJ de EDM, quase todos eles tocam o mesmo estilo, a mesma coisa, até a mesma faixa. Eu acho que as pessoas queriam ir a esse tipo de evento, mas eles não suportavam ouvir a mesma música várias vezes, da mesma forma, tocada pelos mesmos DJs”.

Cox segue afirmando que “[...] o Techno te leva para outro lugar, é uma experiência similar, mas o público é levado em uma jornada em desenvolvimento, eles querem descobrir novos sons. Você não precisa ter os drops nas faixas, você não precisa ter vocais nisso, você não precisa de fogos de artifício e toda essa parafernália - (você está ali) porque você está na/com a música. Então, as pessoas que experienciaram a EDM, amaram isso, mas depois de cinco anos você já teve o suficiente, e foi isso que impulsionou os palcos de Techno nos festivais”.

O DJ segue na criação do paralelo entre os dois segmentos destacando que o Techno não demanda por palcos gigantes o tempo todo. “[...] você pode tocar em um clube com 200 pessoas sem ter que mudar seu estilo de som. Na EDM, arenas são necessárias e eles não podem tocar mais de uma hora e meia, enquanto no Techno, você pode tocar o quanto quiser, desde que a plateia esteja lá”.

A entrevista na íntegra é um daqueles pontos altos da música. Respostas longas e perguntas bacanas sobre a carreira e os novos desafios de Cox que está na estrada desde a década 80. Vale tirar um tempo pra ler tudo.

Murakami DJ. Autor conhecido por livros como Kafka à beira mar e a série 1Q84 faz sua estreia como selecionador musical

Eu sempre fico empolgado quando as artes se misturam, mas preciso confessar que nunca imaginei que um dia iria dar a notícia de que Haruki Murakami fez seu debut como DJ. O autor, um dos principais escritores contemporâneos, não assumiu as pick ups em um festival no Japão, mas apresentou um programa com 55 minutos de duração no qual misturou jazz e classic rock e também comentou sobre seu processo criativo.

Em certo momento ele confessou que “Em vez de aprender técnicas de storytelling de alguém, eu adotei uma abordagem musical, permanecendo muito consciente sobre ritmos, harmonia e improvisação. É como escrever enquanto eu danço, mesmo que na verdade eu não dance. Pra mim, escrever é um processo muito físico, e este é meu estilo. Se você acha que meus livros são fáceis de ler, talvez tenhamos algo em comum musicalmente”, arremata o autor.

O programa de rádio, apresentado em uma estação de Tóquio, ainda não foi disponibilizado internacionalmente, mas de acordo com nota da AP o autor selecionou músicas como "Madison Times" de Donald Fagen, "D.B. Blues" de King Pleasure e um cover de "Knockin' On Heaven's Door" interpretado por Ben Sidran.

Swedish House Mafia deve fazer tour em 2019 e tocar no Tomorrowland, diz Steve Angello

A edição de verão do Tomorrowland acabou de terminar, mas as novidades sobre o próximo festival já começaram a pipocar. Steve Angello, em entrevista a um jornal holandês, confirmou a apresentação do trio (que conta ainda com Sebastian Ingrosso e Axwell) na edição 2019 da Tomorrowland. Vale lembrar que a edição 2019 do festival irá comemorar 15 anos e deve ser uma das maiores já realizadas na Bélgica.

Em conjunto com isso, o Swedish House Mafia ainda tem dado pistas sobre shows em Londres - com uma série de pôsteres espalhados por uma parte específica da capital inglesa - e também em Nova York, o que indica uma boa jornada - ao menos pelo hemisfério norte-. Agora resta esperarmos novidades para o Brasil, não é mesmo?

Set da semana: Armin van Buuren x Untold Festival

Que Armin van Buuren é alguém fora da curva, a gente já sabe. O holandês, mesmo com suas longas horas de trabalho e produzindo música para todos os públicos e gostos, ainda consegue surpreender com sua entrega no palco. A prova disso é seu set mais recente apresentado no Untold Festival, na Romênia, que desde 2017 parece ter se tornado um dos pontos altos da sua tour.

Entregando um set com sete horas de duração, o holandês passa por alguns dos principais momentos de sua carreira e retorna aos tempos quando somente um DJ era responsável por manter a pista acontecendo a noite toda. Só que no caso de Armin, ele está no mainstage. Ah… Ao final da apresentação, com lágrimas nos olhos, Armin vai para o público, abraça todo mundo e cria mais um daqueles momentos emocionantes que só a arte pode dar pra gente. Então, se prepara pra essa longa jornada e dá play nos dois vídeos abaixo.

Lançamentos e descobertas da semana

DiRTY RADiO + Jafunk “Pleasures”

Possivelmente uma das coisas mais legais de trabalhar com música é ter contato com uma galera que não está no radar. Assim, a surpresa da semana é a faixa “Pleasures” criada em uma parceria entre o duo de Vancouver (Dirty Radio) e o produtor australiano (Jafunk), a música entrega aquela sonoridade redonda, funkeada e repleta de bons elementos pra manter a pista quente. Um mix perfeito entre swing, elementos eletrônicos e uma sonoridade orgânica trabalhada em seu melhor patamar.  Só vai, eu garanto.

Gui Boratto - Pentagram Remixe EP. (Wehba, ANII, A Better Lie)

Gui Boratto está “on fire” com seu disco mais recente, Pentagram. O álbum lançado há pouco mais de um mês, acaba de ganhar um EP com remixes de Wehba, ANII e o alias misterioso A Better Lie. E é sempre bom destacar, criar remixes de faixas muito boas pode ser uma armadilha, porém, os três trabalhos apresentados no projeto nascem prontos para dar ainda mais pressão ao que Gui vem desenvolvendo. Aperta o play e deixa acontecer.

Armin van Buuren, Vini Vici & Alok ft. Zafrir “United”

Armin é uma máquina de fazer música já tem um bom tempo. Dessa vez o holandês liberou “United”, faixa com um dos principais nomes do psytrance, Vini Vic, o cantor-compositor Zafrir e o brasileiro Alok - que tem aproveitado bastante as possibilidades de parcerias com grandes artistas em diversas partes do mundo -. A música trabalha com os elementos mais fortes dos três nomes e entrega momentos pensados para main stages ao redor do planeta. Porém, mesmo com essa característica EDM-Psytrance, a track apresenta pontos promissores. Bem, você pode ouvir e tirar suas próprias conclusões abaixo.

Silk City (Diplo + Mark Ronson) ft. Mapei “Feel About You”

Já tem um tempo que Diplo e Mark Ronson (o produtor por trás de faixas de Adele, Amy Winehouse e Bruno Mars) anunciaram o projeto conjunto Silk City. Uma das primeiras faixas apresentadas pela dupla foi “Feel About You” que conta com os vocais da incrível Mapei e mistura elementos das pistas da década de 80 mais alguns dos bons truques de produção de Ronson e Diplo. Música descompromissada pra te fazer dançar no automático. Dá o play e aproveita.

Vamos dançar onde?

Final de semana cheio de boas festas para dar aquela esquentada. E claro, dá pra escolher dançar de graça, num local incrível… Possibilidades não faltam. Vem cá ver.

Abrindo os trabalhos, na sexta-feira (10) a galera da Metanol FM faz aquela festa bacanuda lá na Red Bull Station e convida os gaúchos do Goma Rec. Os dois coletivos representados pelos DJs Akin/Non Exist, Kakubo, Thiago Takeshi, ALBIN, Deborah Blank e Nalu, começam os trabalhos às 16h e vão até às 22h, com somente a certeza de que você vai ouvir música boa em um nível realmente absurdo. Tudo que você precisa saber está bem aqui.

Ainda na sexta (10) acontece mais uma edição da SILVER/tape, no centro de São Paulo, com um line-up pegado que vai contar com sets de Carol Mattos, ERAM, Gabriel Ribeiro e AKA Linda Green. Tudo começa às 23h45 e deve terminar às 09h da matina. As informações necessárias estão bem aqui.

Fechando a trinca de sexta (10) a Sonido Trópico vem com uma edição especial no Orfeu para apresentar suas novas artistas, CAUANA, DJ FLAVYA e MARINA LUZ. A festa começa a 00h de sexta para sábado, também no centro de SP. Os detalhes você encontra aqui.

No sábado à tarde (11) acontece mais uma edição da Babel, festa urbana do selo Mareh Music. A festa rola em SP desde 2015 e dessa vez tem como nome principal, Terrence Parker, mais um bom nome da House Music de Detroit que vem acompanhado pelo LIVE PA de Merashka! Pra saber o que você precisa para estar lá, é só clicar aqui.

Pra fechar, como todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite, a ODD retorna à sua edição noturna com o line-up que a gente gosta: Blind Observatory, Vermelho, Zopelar, Davis e mais uma galera. A jornada começa às 23h e deve seguir até às 13h do domingo. Tudo que você precisa saber está bem aqui.

Por hoje é isso. Aproveitem o final de semana pra esquentar a vida nas pistas e a gente se esbarra no dance floor. Fui!