Foto de The Chemical Brothers

Créditos da imagem: The Chemical Brothers/Facebook/Reprodução

Música

Artigo

Jacidio, who? | Chemical Brothers anuncia disco novo e libera clipe

Amazon lança série ambientada na cena Techno alemã, o disco do Adriatique, Kaytranada no melhor set da semana e muito mais

Jacídio Junior
22.11.2018
11h57

Hallo! Parece que faz um bom tempo que eu não passo por aqui, não é verdade? Mas bem, vamos ao que interessa. Hoje temos a boa e velha lista de coisas pra fazer no final de semana, algumas boas músicas para ouvir - caso você ainda não tenha ouvido o novo disco do Adriatique, apenas dê o play - e algumas novidades. Pode chegar que tem coisa boa de sobra.

Chemical Brothers lança clipe e anuncia No Geography, o nono disco da carreira

Os ingleses do Chemical Brothers, após três anos do lançamento de Born In The Echoes, anunciaram recentemente que seu nono álbum deve sair em 2019. Com o nome de No Geography, o álbum deve será lançado durante o outono do hemisfério sul. Aproveitando o anúncio, a dupla também divulgou shows pela América do Norte e Reino Unido tudo embalado pelo clipe do primeiro single do próximo projeto, “Free Yourself”. Confira abaixo:

Documentário vai recuperar histórias perdidas de Detroit e mostrar lado sombrio da indústria

Detroit é considerada o berço do Techno, mas poucas pessoas sabem disso. Os cineastas Jennifer Washington e Kristian Hill estão realizando uma campanha de financiamento coletivo para viabilizar o documentário God Said Give 'Em Drum Machines: The Story Of Detroit Techno.

O doc. conta a história de nomes como Derrick May, Juan Atkins, Kevin Saunderson, Eddie Fowlkes, Blake Baxter, Santonio Echols e explora o lado sombrio da indústria que, de acordo com os produtores, "usa uma tática curiosa de marketing que ofuscou a influência global de Detroit na cultura da Dance Music". Conheça mais sobre o projeto e colabore aqui.

Disco da semana: Adriatique - Nude

Os suíços Adrian e Adrian sempre estiveram entre os melhores produtores do planeta. Acostumados a arriscar e a trabalhar com linhas etéreas, muitas camadas e peso (sim, essa mistura é possível), o primeiro disco do Adriatique era esperado com ansiedade por qualquer pessoa que gosta de e-music e a entrega de Nude não desaponta. Com 13 faixas e pouco menos de 1h10, o projeto é coeso em sua viagem e ideal para conduzir o ouvinte  dentro das possibilidades sonoras criadas pelos amigos.

Nude quase nunca perde o interesse do ouvinte, cresce muito bem e desde a primeira audição mostra que foi pensado para impressionar. Com tudo isso comprovado, o Adriatique mostra que além de bons criadores também entendem como estimular os ouvidos, já que nem sempre bons DJs e produtores são capazes de entregar bons discos.

Dessa forma, Nude é um projeto que trabalha pressão sonora, escuridão, peso e nuances, entregando a cada faixa uma jornada auditiva que abraça e não te deixa fugir. Desde a abertura é possível sentir que a escolha da sequência das faixas funciona como algo que te leva para a submersão.

“Dawning”, a abre-alas, surge com poucas notas, te pega pela mão e te leva para o início do caminho. E, então com pouco aviso, chega “Awakenings Machines” com o peso que te tira da zona de conforto e te faz pensar em como a pista estaria naquele momento. E por aí segue a alternância entre o delicado e o pesado. A mistura que faz das criações eletrônicas um celeiro de estímulos cerebrais.

Basicamente, descrever essa viagem em palavras é perder tempo, já que tudo faz sentido dentro do projeto e vai ser difícil encontrar olhares de desapontamento quando o disco terminar. Sobra somente a vontade de ouvir de novo, afinal de contas, em casa, a pista nunca fecha. Ouça o disco na íntegra abaixo.

Set da semana:  Kaytranada | Pitchfork Music Festival Paris 2018

Não é a primeira vez que o canadense Kaytranada aparece por aqui. Mas é quase impossível ouvir esse set, liberado poucos dias atrás, e não ficar impactado com a sonoridade, a mistura e a vibe. É pra dar o play, ligar o som, chamar os amigos e fazer sua própria festa. Tem música nova, anúncio de que o próximo disco tá próximo e tudo que a gente precisa pra suar dançando. Pode apertar o play que não tem erro.

Lançamentos e descobertas da semana

Darin Epsilon - “Karakoram”

Darin Epsilon é um nome bem conhecido no mundo do progressive house. Porém, o norte-americano arrisca em uma pegada um pouco mais próxima do deep house e mostra que sua criatividade sonora dialoga bem com momentos introspectivos. Dá o play e sente o drama.

i_o - Low EP.

i_o é mais um da série de produtores que a gente não sabe onde estavam até que tenham liberado suas primeiras faixas. Mais um criativo sob o guarda-chuva da mau5trap, o californiano entrega em “Low” e “Move” uma sequência de graves pesados, ideal para fazer corpos se movimentarem sem muito tempo para pensar. Aperta o play e vem.

Thomas Bangalter - “Riga (Take 5)”

O Daft Punk é mestre no que faz e isso é indiscutível. Thomas Bangalter, é metade do duo francês, e liberou recentemente a rápida “Riga (Take 5)”, gravada em um único take como versão alternativa para a trilha sonora do longa Riga (Take One). Dê o play nessa viagem de 15 minutos e depois a gente conversa.

Jon Hopkins- “Singularity” (ANNA Remix)

Já tem algum tempo que tudo que ANNA coloca as mãos fica melhor. Dessa vez a DJ e produtora brasileira liberou o remix de uma das melhores faixas de 2018, “Singularity”, do produtor inglês Jon Hopkins, e conseguiu atingir um novo nível. O tempero da brazuca fica evidente nos beats e no formato que mistura muito bem os elementos originais a sua forma brusca de fazer dançar. É coisa fina. Dê o play e aproveite.

Vamos dançar onde?

De volta à correria da agenda semanal, afinal de contas os pés precisam dançar. Os próximos dias têm coisa boa pra caramba e vale a pena ficar ligado pra não se arrepender depois. Chega mais.

Tudo começa na sexta, 23, com mais uma edição do L_VE, evento que rola na região da Barra Funda, no Plu Bar, e tem no line R. Vincenzo, Érica & Pinaud, IAO e L_cio (que irá lançar seu novo EP “TURN”). Noite bonita, pra dançar e tudo que você precisa saber está bem aqui.

No mesmo dia, em Campinas, a noite vai ser garantida com o primeiro all night long de Eli Iwasa. Facilmente uma das DJs mais bacanas do Brasil, Eli vai tocar a noite toda e criar um caminho sonoro especial. Quem já teve a chance de vê-la tocando sabe que a noite promete ser incrível. O rolê acontece no Club 88 e tudo que você precisa saber está bem aqui.

Sábado, 24, o negócio acontece com a galera da Gop Tun em sua formação clássica (Gui Scott, Caio T, Nascii e TYV) lá no Air Rooftop, no centro de SP. Noite longa, galera bacana e música boa. Tudo que você precisa tá aqui.

Também no sábado, o MBR, núcleo que entregou uma das melhores festas de 2018 (com Mira e Oceanvs Orientalis), ressurge com Nico Stojan e Be Svendsen. Os ingressos ainda estão disponíveis e o local será divulgado no dia. Experiência garantida. Os detalhes estão aqui.

E pra fechar o circuito, o Red Bull Music Festival São Paulo (um dos eventos de música mais bacanas do ano) apresenta uma de suas atrações no sábado, o Concreto Som Sistema. O encontro vai reunir seletores, músicos e artistas influenciados por sonoridades jamaicanas, do dub ao reggae e dancehall, com o line composto por Buguinha Dub, Dubversão Sistema de Som, Lei Di Dai, Negu Edmundo e SOUND SISTERS. O rolê acontece na Fabriketa e, como de costume, as informações estão bem aqui.

O final de semana promete, então prepare os pés para dançar e deixar a música fluir por você. Nos vemos na pista, certo? Até semana que vem. Fui.