Future - Future Hndrxx Presents: The WIZRD

Créditos da imagem: Future Hndrxx Presents: The WIZRD/Future/Reprodução

Música

Crítica

Future - Future Hndrxx Presents: The WIZRD

Rapper norte-americano aposta em fórmulas consagradas e entrega disco longo e repetitivo

Jacídio Junior
18.01.2019
17h41

Anunciado como um dos grandes lançamentos de 2018, Future Hndrxx Presents: The WIZRD chega aos fãs com um peso que talvez não devesse ter. Future há algum tempo é visto como um dos grandes nomes do rap/trap norte-americano, apostando na mistura entre elementos dos dois segmentos e com um flow conciso. Assim, o rapper de Atlanta conquistou fãs ao redor do mundo com letras nem sempre tão marcantes, mas com batidas que fazem o peito vibrar.

Em seu novo disco, o sétimo da carreira, Future se arrisca em letras um pouco mais elaboradas - apesar de grande parte se manter nas temáticas já conhecidas (festa, dinheiro e drogas) - e aposta na estratégia de um disco playlist: 20 faixas entregues em pouco mais de uma hora, que no fim não levam a lugar nenhum.

O tempo investido na audição do projeto mostra uma série de repetições de fórmulas sonoras ideal para tocar nas rádios e festas, e que poderiam durar a metade do tempo.

Logo na abertura, com “Never Stop”, a aposta no auto tune cansa bastante, o que segue por todo o trajeto do álbum. Porém, dentro do universo criado para o disco, momentos menos acelerados como “F&N”, “Krazy but True”, com sua fluidez desconstruída, e “Tricks on Me” (produzida por Nineteen85, responsável pelos beats de “Hotline Bling” e “One Dance”) ganham destaque, justamente por afastar o trabalho de um contexto que se repete infinitamente dentro de sua forma.

Como parte desse cenário repetitivo e sem inovações, alguns momentos e samples chegam a fazer os ouvidos ficarem mais atentos, mas é tudo muito rápido, sempre retomando a batida e o grave já pasteurizado do trap de pista.

Future tem 35 anos e ganhou destaque com o álbum DS2, que ainda hoje se mostra muito original e interessante ao explorar sonoridades, tempos e até mesmo timbres que ampliam bastante a fronteira do trap como ferramenta/estilo musical. Com isso em perspectiva, Future Hndrxx Presents: The WIZRD se mostra como um disco fraco, que não ousa, entrega mais do mesmo, com raros lampejos interessantes, reutilizando grande parte das fórmulas que deram certo, mas agora sob um novo “alias” (The Wizard).

Talvez essa reciclagem sonora possa agradar alguns fãs que estejam em busca de deixar o grave bater em seus equipamentos de som ou que, de alguma forma, consigam se relacionar com as letras que Future entrega em seu novo projeto. No mais, nada de novo no front.

Como escrito por Dhruva Balram, para a NME: “em uma era na qual a sonoridade do rap e do hip hop tem mudado velozmente, com flows introspectivos e socialmente conscientes, algo que se tornou norma até mesmo no mainstream, Future parece estar atolado no passado”. Não poderia ser mais preciso.

Ouça o disco abaixo.

Nota do Crítico
Regular