Música

Notícia

Cansei de Ser Sexy | Adriano Cintra explica sua decisão de deixar a banda

Baixista estava cansado de estar em uma banda "em que as pessoas não gostam de tocar, não gostam de ensaiar"

Carina Toledo
15.12.2011
01h00
Atualizada em
01.11.2016
21h06
Atualizada em 01.11.2016 às 21h06

Em novembro, o CSS (ou Cansei de Ser Sexy) perdeu seu baixista, produtor e principal compositor, Adriano Cintra. E além de perder um integrante, a banda perderia também o direito de usar as bases sonoras criadas por ele em shows - situação que agora já foi resolvida com um acordo amigável entre Cintra, a vocalista Lovefoxxx e o restante do grupo.

Adriano Cintra

None

Em entrevista à Rolling Stone Brasil de dezembro, ele explicou seus motivos para deixar a banda e contou como era a dinâmica de trabalho do CSS.

"Não queria fazer o terceiro disco, a gente estava parado fazia um ano e meio. Já tinha dito para elas que, se queriam fazer, seria diferente dos outros, todo mundo teria que colaborar. No começo a gente até tentou, só que não rolou, porque nunca foi assim. Eu cheguei a sair da banda em maio. Elas nem souberam, porque o empresário pediu para eu ficar", contou.

Outro agravante para Cintra foi o diagnóstico de LER (lesão por esforço repetitivo) na mão, que o impedia de tocar baixo todos os dias.

"No meio da turnê europeia, mais ou menos em agosto, eu comecei a ter um problema no dedo [mínimo]. Seria melhor a banda continuar até o fim do ano com um baixista substituto. Só que tem um problema: nos shows, mais da metade das músicas tem backing tracks, nas quais sou eu tocando. Eu quis receber por isso, e o empresário concordou. Uns dias antes do pagamento do salário, recebo um e-mail dele dizendo que elas achavam que eu não precisava mais receber, uma vez que eu não estava em turnê, 'e porque, afinal, você tem outras fontes de renda'. Fiquei puto. Mas essa coisa do backing track foi só a gota d’água. Já estava ficando muito angustiado de estar em uma banda em que as pessoas não gostam de tocar, não gostam de ensaiar", finalizou.

Com a questão das backing tracks já resolvida, o CSS segue em turnê e volta ao Brasil para tocar no festival gaúcho M/E/C/A, em janeiro.

Adriano Cintra está planejando vários projetos, que incluem retomar parcerias antigas. Já gravou com Maria Gasolina, ex-Bonde do Rolê, e com o vocalista Nathan Hudson, da banda australiana Faker. Cintra também está formando um novo grupo com Carlos Dias, seu antigo companheiro do Caxabaxa. "Já inventamos um nome novo pra nossa banda, vai ser Ah-Va. Tipo A-Ha", contou, em entrevista anterior ao jornal O Globo.

Outra possibilidade é gravar com Marco Butcher, com quem tocava no Thee Butchers' Orchestra. "O Butchers nunca acabou na verdade, só estamos separados pela distância. Mas nos falamos quase todos os dias!", comentou.