Record é acusada de racismo por associar Beyoncé a magia negra

Créditos da imagem: Divulgação

Música

Notícia

Record é acusada de racismo por associar Beyoncé a magia negra

Programa resgatou caso de Kimberly Thompson, ex-baterista da cantora, para falar sobre o tema

A cozinha
06.01.2021
12h13
Atualizada em
04.09.2021
13h24
Atualizada em 04.09.2021 às 13h24

A hashtag #RecordRacista entrou nas mais citadas do Twitter nas últimas horas, após o canal associar a cantora Beyoncé a magia negra. Em uma matéria do programa religioso Fala Que Eu Te Escuto sobre bruxaria e magia negra, uma acusação feita pela ex-baterista da cantora, Kimberly Thompson, é usada como exemplo para falar sobre o tema, apresentado na matéria como uma prática sobrenatural que causa mal às pessoas.

Um dos pontos que mais chamou a atenção dos fãs foi o uso de cenas de Black Is King, filme em que Beyoncé exalta a cultura negra, produzido para o serviço de streaming Disney+:

O caso resgatado pelo programa ocorreu no começo de 2019, quando a baterista foi à justiça norte-americana afirmando que Beyoncé praticou bruxaria e magia negra contra ela. Segundo Thompson, a cantora teria ainda matado seu gatinho.

Embora a acusação tenha acontecido de fato, o que os fãs que se manifestaram nas redes sociais apontam como problemático é a escolha de Beyoncé para ilustrar a reportagem, com cenas que remetem a religiões de matriz africana, que comumente são alvos de preconceito e até perseguição, tratadas como bruxaria e magia negra, um termo também problemático por si só, por usar o adjetivo "negra" como associado a algo negativo:

 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.