Cartaz Vingadores Ultimato

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Artigo

Como Vingadores: Ultimato sutilmente apresentou o primeiro personagem gay do MCU

Joe Russo e Anthony Russo falam sobre a importância do trecho em um lançamento global - cuidado com os spoilers!

Natália Bridi
27.04.2019
22h15
Atualizada em
28.04.2019
16h06
Atualizada em 28.04.2019 às 16h06

Kevin Feige já afirmou que o futuro do MCU terá personagens LGBTQ+ e os irmãos Russo deram um pequeno, mas importante passo em Vingadores: Ultimato.

Na cena do grupo de apoio, em que Steve Rogers ajuda alguns homens a lidar com o trauma do desaparecimento de 50% de todas as formas de vida depois do estalar de dedos de Thanos, o diretor Joe Russo faz uma participação especial como um homem que vai em um encontro com outro o homem e, apesar dos dois terem chorado entre diferentes momentos da refeição, um segundo encontro já estava em vista.

É um momento simples, mas importante segundo os diretores: “Representação é muito importante. E era importante para nós conforme fizemos esses quatro filmes, ter um personagem gay em algum momento. Sentimos que era importante que um de nós o interpretasse para assegurar a integridade do momento e mostrar que era importante para nós como cineastas, que um de nós estava representando isso”, explicou Joe Russo ao Deadline.

É um daqueles elementos nesses filmes que pode chegar em lugares onde não existe liberdade como aqui”, continuou Anthony Russo. “Como cineastas de uma franquia gigantesca estamos dizendo ‘apoiamos você’”.

Ainda que cheia de boas intenções, a atitude recebeu algumas críticas, já que o personagem representado por Joe Russo não tem nome e sequer faz parte do núcleo principal de personagens. Séries de TV ligadas ao universo da Marvel já haviam trabalhado personagens LGBTQ+ de forma mais eficaz, por exemplo. Ainda assim, é a primeira vez que o MCU se posicionou de alguma forma, o que é um ponto positivo para o futuro das histórias que o estúdio pretende contar nos cinemas. 

Vingadores: Ultimato já está em cartaz nos cinemas - leia a nossa crítica