Benedict Cumberbatch como Doutor Estranho no trailer de Homem-Aranha 3

Créditos da imagem: Marvel Studios/Divulgação

Filmes

Notícia

Benedict Cumberbatch defende Scarlett Johansson e fala em Doutor Estranho 2

Astro critica resposta do CEO da empresa, Bob Chapek, à atriz; fala sobre Sam Raimi no MCU

Eduardo Pereira
08.09.2021
13h53

O astro britânico Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho) é o mais novo integrante do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) a comentar o processo movido por Scarlett Johansson (Viúva Negra) contra a Disney. A atriz pede que a empresa arque com compensações por ter lançado o filme solo de Natasha Romanoff simultaneamente nos cinemas e do Disney+, afetando os ganhos de sua principal estrela com participação direta nas rendas de bilheteria.

Em entrevista concedida ao THR, Cumberbatch criticou a resposta dada pelo CEO da Disney, Bob Chapek, ao processo movido por Johansson. O executivo citou a pandemia de covid-19 para insinuar uma suposta falta de sensibilidade de Johansson. "É triste o que está acontecendo por entre essas camadas", disse o ator de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa"Só o uso de certas palavras e as acusações de 'colocar em um contexto de pandemia'. Isso tudo é uma confusão. Estamos entendendo o que as fontes de renda devem ser para artistas que colaboram com o negócio bilionário que é a Disney, e tudo tem de estar no contrato", adicionou.

"Como funciona agora uma compensação normal de um artista, com bônus de bilheteria? É um novo paradigma", continuou Cumberbatch. "Ninguém esperava por isso, e ninguém deveria comentar sobre algo que já passou também, dizendo: 'Olha, deveríamos ter feito assim'. Esse [Viúva Negra] foi o primeiro desses filmes que seria lançado na pandemia, e acabou atrasado e atrasado. E uma nova realidade".

Cumberbatch também opinou obre suas novas colaboraçãos com a Marvel Studios, em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura e no mais próximo de ser lançado Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa, abordando primeiro a substituição de Scott Derrickson por Sam Raimi no comando do segundo filme do Mago Supremo. "Fiquei triste em saber sobre a saída do Scott, mas não foi minha decisão", afirmou. "Eu respeitei completamente a escolha do estúdio, e tudo foi feito bem amigavelmente", completou.

Sobre Raimi, o ator disse que "ele foi um par de mãos muito seguro, que conhecia aquele mundo. Ele tem seus coastumes de Raimi, o zoom estilingue para entrar em um close-up. A mistura na medida certa de horror e camp. Há muits diversão aí, mas devem rolar uns arrepios também". Segundo Cumberbatch, Raimi incentivou o improviso na produção, algo que ele já havia experimentado em Vingadores: Guerra Infinita (2018). "Eu lembro, no set de filmagens, quando eu chamei o Homem de Ferro de babaca, houve um choque generalizado. Eles mantiveram a fala, bom para eles", brincou.

Sobre sua participação na mais nova aventura do Homem-Aranha de Tom Holland, Cumberbatch apenas reforçou o que já sabemos, mas com seu tradicional humor britânico. "Há uma relação próxima. Eles são heróis que dividem uma mesma vizinhança, e tiveram de dividir uma ou outra experiência. Há uma história entre eles. Pode ser que Peter me peça para fazer algo? Acho que posso dizer isso. Eu o ajudo a fazer o imposto de renda. É isso".

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa estreia em 16 de dezembro. Já Doutor Estranho no Multiverso da Loucura tem previsão de estreia para 25 de março de 2022.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.