One Piece: A Série (Netflix/Divulgação)

Créditos da imagem: One Piece: A Série (Netflix/Divulgação)

Mangás e Animes

Artigo

Guia de One Piece | Grand Line, Red Line e mais; entenda o mapa do anime

Para se tornar o rei dos piratas, Luffy terá que cruzar o mundo!

Omelete
4 min de leitura
02.10.2023, às 19H06

Seguindo a nossa série de matérias especiais para marujos de primeira viagem de One Piece, esta semana falaremos sobre um conceito bem único da franquia: seu mapa. Em todas as mídias, a primeira coisa que aprendemos sobre o protagonista Monkey D. Luffy é que ele quer se tornar o rei dos piratas. A segunda é que ele precisa chegar na Grand Line. Mas o que diabos é isso? 

[IMPORTANTE: Os Guias de One Piece têm como objetivo ajudar fãs iniciantes do anime sem estragar a experiência deles. Se você já coleciona centenas de episódios assistidos ou está em dia com o anime/mangá, não dê spoilers nos comentários deste artigo nas redes sociais]

Primeiro, precisamos falar sobre o mar em que Luffy está no início da saga, antes de seguir com seus novos companheiros para a Grand Line. O pirata do Chapéu de Palha passou o primeiro arco inteiro em East Blue – se você conheceu a obra pelo live-action da Netflix, isso representa toda a primeira temporada e, provavelmente, o início da segunda. Mar-natal de Luffy, o East Blue é onde ele encontra seus primeiros camaradas: Zoro, Nami, Usopp e Sanji.

One Piece (Toei Company/Reprodução)
One Piece (Toei Company/Reprodução)

O East Blue, no entanto, é considerado o mais fraco dos quatro mares por não ter piratas famosos nem grandes recompensas circulando por lá. Os outros três mares são o North Blue, South Blue e West Blue. Há ainda uma lenda, na qual Sanji acredita, que os quatro mares se encontram em algum ponto do planeta, formando um quinto mar chamado All Blue, que ninguém sabe onde ficaria. 

Navegar pelos quatro mares principais é relativamente simples e a lógica é a mesma que usamos no mundo real. O problema começa quando os piratas tentam cruzar esses mares, porque eles são divididos por duas linhas: a Grande Line e a Red Line. A primeira é a principal rota marítima do anime, e liga todos eles. É para lá que Luffy e seus amigos querem ir durante a primeira temporada do live-action. 

Como vemos no anime, o rei dos piratas, Gol D. Roger, revelou momentos antes de ser morto que havia deixado seu tesouro, o One Piece, “naquele lugar”. Os piratas concluíram que o tal prêmio está em uma ilha no final da Grand Line e saíram pelos mares em busca do tesouro. Foi isso que deu início à Grande Era dos Piratas da linha do tempo atual da obra.

Mas, se é simples navegar nos quatro mares, isso muda quando os navegantes entram na Grand Line. O famoso destino de Monkey D. Luffy nada mais é do que uma gigantesca corrente marítima que contorna o globo, onde não é possível usar bússolas. Para navegar por ela, os piratas precisam usar um Log Pose, dispositivo que sintoniza com o magnetismo de uma ilha e, em seguida, aponta para a ilha seguinte mais próxima. Essa região é repleta de ilhas e o tempo que o Log Pose leva para registrá-las varia muito, o que obriga os piratas a passarem por quase todas as ilhas do mapa. Além do Log Pose, existe ainda o Eternal Pose, um dispositivo com funcionamento parecido, mas que aponta eternamente para uma única ilha. 

One Piece (Toei Company/Reprodução)
One Piece (Toei Company/Reprodução)

A Red Line, por sua vez, nada mais é que o continente no universo de One Piece. Ela é está a muitos metros acima do nível do mar, sendo praticamente impossível desembarcar nela através dos Blues. A Red Line dá uma volta no globo, como um anel de rochas que divide a Grand Line ao meio: a primeira metade que conhecemos no anime é a mais tranquila, sendo conhecida como "Paraíso", e a segunda, chamada “Novo Mundo”, é a região mais perigosa dos mares. No Novo Mundo vivem os melhores usuários de Akuma no Mi e os piratas conhecidos como Imperadores dos Mares, que governam a região extraoficialmente. 

O cruzamento da Red Line com a Grand Line forma os quatro mares que falamos anteriormente. Para atravessá-la, existem alguns caminhos como a montanha reversa, que livram os novatos de encararem o Calma Belt. Veja abaixo:

One Piece (Toei Company/Reprodução)
One Piece (Toei Company/Reprodução)

Por fim, temos o Calm Belt, uma faixa do mar que rodeia cada lado da Grand Line. Não há vento nesse pedaço do mar, então a navegação a velas é completamente inutilizada lá. Para navegar, os navios precisam usar outras tecnologias de propulsão, inacessíveis para a maioria dos piratas de primeira viagem. O clima ameno dessas águas faz delas o local perfeito para os Reis dos Mares fazerem seus ninhos e, nessa região, as criaturas são até dez vezes maiores que nos outros mares. Você deve lembrar do Rei dos Mares que abocanhou o braço do Shanks na saga do East Blue.

Bom, se você chegou até aqui, é porque está realmente empenhado em desvendar o universo de One Piece, então vamos te apresentar um último mar: o do céu. Sim, isso mesmo. Após a saga de Alabasta, com o bando de Luffy tendo dois integrantes a mais que na saga de East Blue, eles vão parar na ilha do céu, Skypiea. Lá, eles navegam sobre densas nuvens e têm algumas das aventuras mais memoráveis da primeira metade do anime. 

Agora que você já sabe tudo o que precisa saber sobre as Akuma no Mi e como navegar em One Piece, fique de olho no Omelete para o nosso próximo guia! 

Com informações do One Piece Fandom.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.