Após evitar nome de Bolsonaro, Marcelo D2 xinga presidente no Lollapalooza

Música

Notícia

Após evitar nome de Bolsonaro, Marcelo D2 xinga presidente no Lollapalooza

Rapper iniciou apresentação chamando presidente de "ele", mas mudou tom ofendeu Bolsonaro

Omelete
2 min de leitura
Caio Coletti, Jacídio Junior e Pedro Henrique Ribeiro
27.03.2022, às 22H30
ATUALIZADA EM 28.03.2022, ÀS 22H00
ATUALIZADA EM 28.03.2022, ÀS 22H00

O cantor Marcelo D2, do Planet Hemp, xingou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e instigou um coro pró-Lula durante apresentação no Lollapalooza. Atitude veio após o rapper evitar nome do presidente no início do show.

Assim que entrou no palco, D2 deu a entender que não citaria Bolsonaro em sua apresentação. "Ele não. Ele não vai comandar a narrativa hoje", afirmou o rapper. "Essa noite é sobre amor, sobre o Taylor [Hawkins], sobre Sabottage. Hoje, a gente faz a narrativa".

Após algumas músicas, o cantor mudou o tom, xingou Bolsonaro, incentivou que a plateia chamasse o nome de Luiz Inácio "Lula" da Silva (PT). D2 disse que exaltaria o festival, Lolla, e iniciou um verso popular das nas campanhas do petista - e foi respondido pelo público. Por fim, o artista disse que o público precisa "mudar isso" nas urnas.

A decisão liminar divulgada no último sábado, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral Raul Araujo avaliou que as manifestações de Pablo Vittar e Marina em seus shows no festival na última sexta-feira se enquadrariam como propaganda eleitoral.

Dessa forma, o magistrado vetou novos atos políticos após ação impetrada pelo PL, partido do presidente Jair Bolsonaro. A decisão determinava multa de R$ 50 mil ao festival caso outros artistas se manifestassem politicamente.

Marcelo D2 e BNegão homenageiam Mr. Catra

Os músicos Marcelo D2 e BNegão, do Planet Hemp, prestaram homenagens a Mr. Catra. O funkeiro morreu em setembro de 2018.

O grupo cantou o verso de "Cadê o Isqueiro?", de Catra, enquanto o público respondeu com isqueiros e lanternas acesas.

Mr. Catra também foi um dos artistas homenageados no telão do palco Budweiser, que lembrou ainda de Taylor Hawkins e outros nomes da música nacional e internacional.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.