Netflix

Lista

La Casa de Papel | O que o trailer revela sobre a parte 4

Armadilhas, conflitos internos, dúvida em relação a Nairobi e mais

Gabriel Avila e Natália Bridi
05.03.2020
16h20
Atualizada em
26.03.2020
15h43
Atualizada em 26.03.2020 às 15h43

Após meses de ansiedade, a Netflix revelou o trailer da 4ª parte de La Casa de Papel. A prévia do seriado espanhol retoma a partir do tiroteio que finalizou a temporada anterior, relembrando o embate entre os sequestradores e a polícia que acabou com Nairobi (Alba Flores) baleada. Abaixo, listamos alguns momentos que apontam os caminhos do novo ano da produção.

O destino de Nairobi

Durante a sua passagem pela CCXP, Alba Flores deixou claro que Nairobi faria muita gente chorar na 4ª temporada. O trailer parece já cumprir essa promessa. A personagem é vista recebendo atendimento, mas a perspectiva não parece positiva. O grupo treinou para prestar atendimento de emergência aos seus companheiros, mas será suficiente?

O choro de Helsinki

Dentre os membros do grupo, é Helsinki (Darko Peric) o mais próximo a Nairobi, e sua presença reforça a ansiedade em torno do destino da colega pelas suas lágrimas. 

Conflitos internos

É claro que as desavenças internas continuam. A situação com Nairobi deve agravar ainda mais essas questões, já que sua condição dá origem à ameaças armadas entre seus colegas. 

O destino de Lisboa

No final da 3ª temporada, Lisboa (Itziar Ituño) é capturada. Enquanto o Professor (Álvaro Morte) acredita que ela foi assassinada, a prévia mostra que ela retorna para o centro de operações da polícia, agora como criminosa. O diálogo com a inspetora Sierra (Najwa Nimri) revela que agora a assaltante será chantageada a colaborar com a captura dos seus antigos parceiros em troca de sua liberdade.

Inimigo infiltrado

Um dos grandes conflitos da temporada vai girar em torno de Gandía (José Manuel Poga),  que deve armar armadilhas para os assaltantes. O trailer é permeado de momentos de ameaça ao grupo, como o enforcamento Helsinki, a explosão de uma bomba no elevador em que estão Tokyo (Úrsula Corberó) e Denver (Jaime Lorente) e um tiro disparado pelo agente.

Problema para o Professor

Como parte de seu plano, Gandía corta a energia do banco para tirar os “olhos” do Professor, deixando os ladrões por conta própria. Os assaltantes tinham a promessa de seu mentor de que seriam retirados do Banco Central, mas sem o seu auxílio a façanha parece impossível. Estocolmo (Esther Acebo) dá um ultimato ao seu mentor.

O troco

Porém, Gandía pode ter provocado uma reação à altura. Após perder seus “olhos”, o Professor é visto andando por um corredor e em seguida as câmeras da polícia são apagadas, igualando a cegueira em relação aos acontecimentos no banco.

Revolução

A 3ª temporada estabelece o impacto do primeiro assalto monumental na sociedade, dando início a uma revolução popular. Na 4ª temporada esse espírito deve ganhar ainda mais força e ser fundamental para o sucesso do plano. “É muito mais que um assalto”, reforça Palermo (Rodrigo De la Serna) em um encontro com o Professor.

A presença de Berlim

Berlim (Pedro Alonso) morreu ao fim do 1º assalto, mas segue aparecendo através de flashbacks, já que ele e Palermo criaram o plano para o assalto atual. Sua participação pode revelar as nuances da estratégia com ares de revolução.

Reencontro

Em meio a um tumulto entre os manifestantes e a polícia, é possível ver Lisboa reencontrando sua mãe. Rápida, a cena indica que sua colaboração com a polícia rendeu frutos, já que a inspetora Sierra indica que a criminosa poderia reencontrar sua família desde que ajudasse a pegar seus colegas.