BTS, Lady Gaga e mais: 8 performances imperdíveis do Grammy 2022

Créditos da imagem: Lady Gaga, V do BTS e Lil Nas X durante suas performances no Grammy 2022 (Reprodução/Montagem Omelete)

Música

Lista

BTS, Lady Gaga e mais: 8 performances imperdíveis do Grammy 2022

Lil Nas X, Silk Sonic e o grande vencedor da noite, Jon Batiste, também entraram na lista

Omelete
1 min de leitura
Caio Coletti
04.04.2022, às 11H32
ATUALIZADA EM 05.04.2022, ÀS 10H52
ATUALIZADA EM 05.04.2022, ÀS 10H52

O Grammy 2022 aconteceu na noite de ontem (3), em Las Vegas, consagrando Silk Sonic, Olivia Rodrigo e Jon Batiste como os seus principais vencedores - mas, para quem não teve paciência para as quase 4h de duração da cerimônia, o Omelete separou as 8 performances musicais bombásticas que você não pode deixar de ver.

Como os canais do Grammy e dos artistas ainda não postaram as versões oficiais da grande maioria dos shows da noite passada, caçamos links de fãs (quando disponíveis) e - em um caso específico que não podíamos omitir - performances alternativas das mesmas músicas para ilustrar nossa lista. Quando versões melhores forem lançadas, o post será atualizado.

Vem com a gente:

Mon Laferte - “La Mujer”

A cantora chilena incendiou a pré-cerimônia do Grammy, onde alguns prêmios secundários foram entregues, com sua rendição solo de “La Mujer”, originalmente gravada como dueto com Gloria Trevi. Vozeirão e teatralidade se uniram para criar uma boa representação da riquíssima música pop latina no Grammy 2022.

Silk Sonic - “777”

Bruno Mars e Anderson .Paak, vencedores de quatro Grammys pelo projeto Silk Sonic, abriram a cerimônia com uma homenagem a Las Vegas - a canção “777”, tirada do álbum do grupo, cita a cidade americana e seus jogos de azar na letra. Um trechinho de “Get on Up”, clássico de James Brown, arrematou o estiloso show.

BTS - “Butter”

Dando uma aula de espetáculo pop, os sete integrantes do BTS apresentaram o hit “Butter” em clima de 007 - dos ternos pretos aos apetrechos operados por Jin, passando pela entrada triunfal de Jungkook, pelo flerte de V com Olivia Rodrigo na plateia e por uma coreografia insana envolvendo os figurinos, foi tudo impecável. Até o quase tombo de J-Hope teve seu charme.

Lil Nas X - “Dead Right Now”/”Montero”/”Industry Baby”

Por falar em espetáculo pop: Lil Nas X é o mais perto de uma diva pop que temos no Ocidente atualmente, e ele reafirmou sua supremacia megalomaníaca na noite de ontem. Com um mashup explosivo de canções do seu primeiro álbum, ele desfilou química com o parceiro musical Jack Harlow, esbanjou trocas de roupa e pirotecnias, e eternizou “Montero” e “Industry Baby” como hits para a posteridade.

Brandi Carlile - “Right on Time”

Infelizmente, não conseguimos encontrar registros da performance brilhante de Brandi Carlile no Grammy 2022, mas seria inconcebível deixá-la de fora dessa lista depois do que fez no palco da premiação. Começando no piano e transicionando para a guitarra em um palco aceso com as cores do arco-íris, ela entregou a melhor performance vocal do Grammy com a lindíssima “Right on Time”.

Nas - “I Can”/”Made You Look”/”One Mic”/”Rare”

O rapper favorito do seu rapper favorito”, definiu o apresentador Trevor Noah ao introduzir Nas para o palco do Grammy. O nova-iorquino mostrou que merece o título com um medley que cobriu hits de 2002 a 2021, soltando seus versos icônicos por cima de uma banda brilhante, incluindo uma sessão de sopros poderosa, que não deixou a energia cair.

Lady Gaga - “Love for Sale”/”Do I Love You?”

Em tocante homenagem a Tony Bennett, que anunciou sua aposentadoria por causa do Mal de Alzheimer, Gaga entoou duas canções de Cole Porter incluídas no seu mais recente álbum de duetos com Bennett, Love for Sale. Indo do eufórico ao sereno em poucos minutos, a popstar provou (de novo) que não há nada que ela não possa fazer.

Jon Batiste - “Freedom”

O vencedor do prêmio de álbum do ano, Jon Batiste, não é tão conhecido fora dos EUA - mas quem assistiu ao Grammy pode presenciar um pouquinho da energia que ele traz para os palcos. Por cima do hit “Freedom”, uma explosão de soul setentista, Batiste comandou um corpo de dançarinos gigante e terminou a performance em cima de uma cadeira na plateia. Esse suou pelo prêmio!

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.