Filmes

Notícia

X-Men: Fênix Negra | “Estamos revolucionando o gênero de super-heróis”, diz Sophie Turner

Atriz também elogiou a direção de Simon Kinberg

Camila Sousa
29.12.2017, às 22H34
ATUALIZADA EM 03.01.2018, ÀS 10H18
ATUALIZADA EM 03.01.2018, ÀS 10H18

Em entrevista à Empire (via CBM), Sophie Turner afirmou que X-Men: Fênix Negra deve mudar os longas de super-heróis:

“É um drama sombrio e corajoso. Estamos revolucionando. Queremos criar um gênero totalmente novo de filmes de super-heróis”.

A atriz também elogiou a direção de Simon Kinberg, que foi produtor dos filmes anteriores da franquia: “Simon foi o cérebro por trás de X-Men por anos, e é realmente empolgante ter algo como um dos nossos pegando o controle da franquia e a levando para onde ele vê. Tenho que dizer que ele é um dos melhores diretores com quem já trabalhei. Ele é apaixonado e colaborativo”.

O filme é situado em 1992, dez anos após os eventos de X-Men: Apocalipse. Agora, Mística (Jennifer Lawrence), Fera (Nicholas Hoult), Tempestade (Alexandra Shipp), Noturno (Kodi Smit-McPhee) e Mercúrio (Evans Peters) são considerados heróis nacionais. Charles Xavier (McAvoy) consegue a capa da revista Time. Mas esse ego coloca a equipe em risco. Depois de serem despachados para uma missão no espaço, um raio solar atinge o X-Jato e esse aumento de energia desperta uma força maligna em Jean - a Fênix. O longa é parcialmente baseado nas HQs de Chris Claremont

Simon Kinberg dirige o filme, que chega aos cinemas em 2 de novembro de 2018.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.