Filmes

Notícia

Tubarão | Clássico de Spielberg pode ajudar a resolver crime dos anos 1970

Vítima teria participado do filme como figurante, diz teoria

Mariana Canhisares
08.08.2018
16h33
Atualizada em
08.08.2018
16h55
Atualizada em 08.08.2018 às 16h55

Tubarão, filme clássico do diretor Steven Spielberg, pode ajudar a solucionar um misterioso assassinato dos anos 1970, nos Estados Unidos. Especula-se que a vítima, conhecida como a Senhora das Dunas, teria participado do longa como uma figurante.

Tubarão/Universal Pictures/Reprodução

O crime aconteceu em julho de 1974, na região de Provincetown, no estado de Massachusetts. O corpo nu de uma mulher com cerca de 30 anos foi encontrado nas dunas por um adolescente que passeava com seu cachorro. Até hoje, não foi possível identificar a vítima, porque, além de quase decapitá-la, o assassino cortou-lhe as mãos e retirou alguns dos seus dentes. O responsável nunca foi encontrado e não há sequer um suspeito para o caso.

A polícia continua suas investigações, mesmo tantas décadas depois. Há alguns anos, eles distribuíram pela região uma imagem de como o rosto da vítima deveria ser, criado a partir de uma tecnologia de reconstrução facial. A foto chegou nas mãos do escritor Joe Hill, filho de Stephen King.

No verão de 2015, quando Tubarão completou 40 anos, ele foi com a família assistir ao filme no cinema. Foi nessa sessão que ele notou uma mulher na cena da doca, com uma bandana azul semelhante à que foi encontrada junto ao corpo da Senhora das Dunas.

"Você a vê na telona e ela salta naquele momento. Era como se contasse uma história de fantasma e eu estava vendo o fantasma dessa vítima de assassinato sobreposta ao longa", disse Hill ao USA Today.

Especula-se que a mulher à esquerda, com a bandana azul, seja a Senhora das Dunas

Tubarão/Universal Pictures/Reprodução

O escritor levou a sua teoria para um agente do FBI, de quem é amigo, achando que seria zoado, mas ele disse que de fato poderia ter alguma coisa ali. "Ideias estranhas já resolveram casos antigos".

De fato, o assassinato ocorreu pouco antes do término das filmagens da produção e pode ser que exista alguma relação. Porém, ainda que existam, são pequenas as chances do filme ajudar a identificar a Senhora das Dunas. Ela pode simplesmente ter sido gravada no local, sem nem saber que apareceria no longa, e não estar registrada como extra pela produção, já que não era comum fazê-lo na época.

O apresentador Mark Ramsey, do podcast Wondery’s Inside Jaws sobre o making of do filme, foi o responsável pela popularização da teoria e tem uma sugestão para facilitar as buscas. "Todo mundo que foi um figurante em Tubarão te contará, é uma experiência inesquecível. Um jeito fácil de identificar [a mulher na cena do filme] se ela está viva é ela dizer em público 'era eu, não estou morta'".

Os detetives de Provincetown e o procurador do distrito local não comentaram o caso.