Rub & Tug | Atrizes criticam escolha de Scarlett Johansson para papel trans

Filmes

Notícia

Rub & Tug | Atrizes criticam escolha de Scarlett Johansson para papel trans

Trace Lysette e Jamie Clayton usaram suas redes sociais para comentar polêmica

Rafael Gonzaga
05.07.2018
20h53
Atualizada em
05.07.2018
21h50
Atualizada em 05.07.2018 às 21h50

Trace Lysette, de Transparent, e Jamie Clayton, de Sense8, usaram seus perfis oficiais no Twitter para comentar a escolha de Scarlett Johansson para protagonizar Rub & Tug, novo filme de Rupert Sanders (A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell). No longa, Johansson dará vida a Dante “Tex” Gill, homem transgênero que durante os anos 1970 teve ligações com a máfia.

Lysette criticou como o processo de entrada em Hollywood foi difícil para profissionais trans, ressaltando a luta para conseguir papéis de personagens cisgêneros (não-trans) ao passo que atores cisgêneros sempre recebem papéis trans. Confira:

"Sério? Então quer dizer que você pode continuar a nos interpretar, mas nós não podemos interpretar vocês. Hollywood é péssima... Eu não estaria chateada se eu estivesse passando por seleções ao lado de Jennifer Lawrence e Scarlett para papéis cis, mas sabemos que não é o caso. Um absurdo.

"E não só nos interpretam, roubando nossa narrativa e nossas oportunidades, mas vocês também ainda são agraciados com troféus e elogios por imitar o que vivemos... de forma tão distorcida. Estou farta."

Conhecida por dar vida a Nomi de Sense8, Jamie Clayton, fez coro às palavras de Lysette, focando na ausência de oportunidades para atores e atrizes transgênero interpretarem personagens cisgênero -confira:

"Atores que são trans nunca chegam sequer a ser chamados para testes de qualquer coisa que não sejam PAPÉIS DE PERSONAGENS TRANS. Essa é a questão real. Nós sequer somos consideradas. Escale atores que são trans para viver personagens que não são trans. Eu desafio você a fazer isso, Rupert Sanders."

Baseado em fatos, o filme contará a história de Dante “Tex” Gill, que entrou no ramo de casas de massagem nos anos 1970, que também eram ligadas com a máfia. Dante foi designado Lois Jean Gill ao nascer, mas revelou ser um homem transgênero.

Johansson recebeu críticas por ter sido escalada para o papel de um homem trans, mas deu uma declaração ao Bustle afirmando que: “Diga a eles que isso pode ser direcionado a Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman”, citando três astros que interpretaram personagens semelhantes no cinema e na TV.

Johansson passou por uma polêmica parecida com A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell, quando o filme foi acusado de whitewashing (“embranquecimento”) por não escalar uma atriz japonesa – saiba mais.

O novo filme deve começar sua produção em fevereiro, com orçamento estimado em US$ 30 milhões.