Cinema

Créditos da imagem: Guilherme Machado/Omelete

Filmes

Notícia

Público enfrenta medo da pandemia para voltar aos cinemas

Vontade de trazer um pouco de normalidade de volta à vida inspira espectadores a saírem de casa

Guilherme Machado
05.11.2020
13h27
Atualizada em
05.11.2020
14h35
Atualizada em 05.11.2020 às 14h35

Assistir a um filme em um shopping em São Paulo em plena sexta-feira à noite costumava ser um programa em que filas e muita gente faziam parte do pacote. Mas o "novo normal" nas salas de cinema, em meio à pandemia de Covid-19, traz um cenário ainda bem diferente. Na última sexta-feira (30), quem foi ao Cinemark do shopping Eldorado, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, encontrou os mesmos espaços amplos de sempre bem vazios.

Pouquíssimos espectadores entravam pelos portões. Não existia fila para pipoca – que era embalada em um saco de papelão para os que se arriscavam a comer – e vidros cobriam os balcões para separar funcionários do público.

Cinema
Guilherme Machado/Omelete

Mas o que mais chamava a atenção talvez fosse o lounge: antes cheio de bancos, sofás e um balcão para que cinéfilos pudessem conversar, agora está completamente interditado. Na entrada, uma placa dizia: “Em breve poderemos estar juntinhos”.

“Eu já estava morrendo de saudades, estava desesperada para a volta do cinema. Tudo voltou, acho que cinemas são até mais seguros do que bares. Dá um medo, mas falaram que tem segurança”,  diz Márcia Félix, 32, enfatizando que a vontade de ver um longa a fez superar o medo de sair na rua. Ela foi acompanhada do companheiro, Arthur Nunez, 34, assistir a Novos Mutantes, um dos poucos filmes a estrearem desde a reabertura dos cinemas na capital paulista, no dia 10.

“Precisamos nos distrair e de algum jeito deixar nossas vidas relativamente normais”, complementa Nunez. Entretanto, Márcia reforça: nada de academia nem restaurante por um bom tempo, só o cinema mesmo.

Mas o cinema no mundo pandêmico é um lugar bastante estranho. Eu, por exemplo, compareci a uma sessão de Tenet, de Christopher Nolan, sem dúvida o maior entre os parcos lançamentos das últimas semanas.

Cinema
Guilherme Machado/Omelete

Uma parte expressiva da sala estava com as cadeiras bloqueadas. Para se ter uma noção, as fileiras chegavam a ter mais de 20 assentos interditados, com apenas duplas de poltronas liberadas, com bastante distância entre elas. Antes dos (escassos) trailers, uma tela verde foi exibida por longos minutos Não sei se é algo comum, mas definitivamente nunca havia visto.

Na sala, além de mim, só estavam 20 pessoas, todas distantes. O clima era tudo, menos normal. Apesar disso, era possível ver espectadores comendo, assim como levantando para ir ao banheiro sem máscara, com um semblante que demonstrava tranquilidade com a situação. Outros aproveitavam o escurinho da sala para namorar.

“Eu já tinha vindo no shopping outras vezes, vi que tem vários protocolos de segurança. Resolvi vir porque por mais que tivesse um risco, eles estão mitigando por meio dos protocolos. Esse já era um filme que eu queria ver antes”, afirma Leonardo Ribeiro, 35, um dos espectadores de Tenet.

Ainda assim, o medo ainda é palpável.

Elizabeth Barbosa, 24, e a namorada, Natália Bispo, 24, ficaram três meses sem se ver, mesmo morando perto uma da outra. Agora elas se sentem mais seguras para sair juntas novamente, mas reconhecem o risco.

“Vai ser a primeira experiência [de sair]”, conta Natália. “Estou com um pouco de receio. A gente ficou pensando o dia inteiro antes de decidir”, complementa Elizabeth.

Ao mesmo tempo, existe uma sensação de que as coisas precisam andar.

“Tem que começar de algum jeito. Não vai ser igual, mas a gente tem que se adaptar a essa nova realidade. Acho que vale a experiência. E se você se sentir confortável, você volta”, acredita Leonardo Ribeiro.

A experiência de passar mais de duas horas em uma sala fechada de máscara é realmente bastante atípica, mas, de fato, aos poucos, as pessoas parecem dispostas a enfrentar o medo. Da última quinta-feira (29) até domingo (1), cerca de 203 mil pessoas foram aos cinemas em todo o país, quase o dobro do período anterior, em que 119 mil espectadores saíram de suas casas para assistir a um filme.

Resta a cada um pesar os riscos e a vontade de ver um bom filme numa tela grande. Este fim de semana, além de Tenet e Novos Mutantes, também chega aos cinemas a aventura Bill & Ted: Encare a Música, entre outros.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.