Kingsman: Serviço Secreto | Roteirista processa Fox por plágio

Filmes

Notícia

Kingsman: Serviço Secreto | Roteirista processa Fox por plágio

R. Spencer Balentine diz que filme foi baseado em script de 2003 e não na HQ de Mark Millar

Natália Bridi
13.02.2018
20h32
Atualizada em
13.02.2018
21h14
Atualizada em 13.02.2018 às 21h14

Kingsman: Serviço Secreto, filme de Matthew Vaughn que adapta a HQ de Mark Millar, está sendo processado por plágio. 

De acordo com o Hollywood Reporter, o roteirista R. Spencer Balentine alega que o filme usou como base o seu roteiro de 2003 intitulado The Keepers. O script em questão participou de um concurso em 2004, ficando em décimo lugar e planos para uma possível adaptação em quadrinhos, o que, segundo Balentine, deu a Marvel e, posteriormente Jane Goldman e Matthew Vaughn, acesso ao seu trabalho.

"O filme usou como base a história em quadrinhos originalmente intitulada Serviço Secreto, publicada em 2012 pela Icon Comics (uma divisão da Marvel) e escrita por Mark Millar. Porém, diversos elementos essenciais do filme não aparecem na HQ e aparecem no roteiro de Balentine", escreve o advogado Steven Lowe no processo. "Por exemplo, no quadrinho não há referência aos Cavaleiros da Távola Redonda, um cachorro pequeno que pertence ao protagonista, o uso de hologramas e o tema geral da HQ é sobre serviço público e não sobre um indivíduo superar a sua origem humilde para chegar a grandes feitos". 

Além disso, o processo alega que pontos da trama e os protagonistas, mentores e antagonistas do filme são similares ao do seu roteiro, seja por educação, escolha de bebidas, desdém pela humanidade ou vulnerabilidade a ataques de pânico. 

Balentine pede US$ 5 milhões em danos pelo plágio. A Fox ainda não comentou o caso. 

Lançado em 2015, Kingsman: Serviço Secreto faturou US$ 414 milhões mundialmente e ganhou uma sequência em 2017, O Círculo Dourado, que faturou US$ 409 milhões mundialmente.