Filmes

Lista

Oscar 2020 | Tudo sobre Jojo Rabbit

Comédia dramática que satiriza Alemanha nazista recebeu 6 indicações à premiação

Gabriel Avila
20.01.2020
18h00
Atualizada em
21.01.2020
15h52
Atualizada em 21.01.2020 às 15h52

Conhecido por filmes marcados pela mistura entre comédia caótica e drama, o diretor Taika Waititi causou grande curiosidade ao anunciar que seu próximo projeto após Thor: Ragnarok seria Jojo Rabbit, uma sátira à Alemanha nazista focada em um garoto que tem o próprio Adolf Hitler como amigo imaginário.

Reunindo um elenco composto por estreantes como Roman Griffin Davis, o intérprete de Jojo, grandes nomes como Sam Rockwell, e até o próprio Waititi no papel do ditador, a produção teve boa repercussão em festivais de cinema como o de Toronto, em que venceu na principal categoria do evento. No Oscar 2020 não foi diferente. O longa recebeu seis indicações, incluindo Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Atriz Coadjuvante para Scarlett Johansson.

Confira abaixo tudo sobre Jojo Rabbit:

SINOPSE

Divulgação/FoxSearchlight

Uma sátira da Segunda Guerra Mundial que acompanha um solitário garoto alemão chamado Jojo (Roman Griffin Davis), cuja visão de mundo vira de cabeça para baixo quando descobre que sua mãe solteira (Scarlett Johansson) está escondendo uma jovem judia (Thomasin McKenzie) no sótão. Com ajuda apenas de seu amigo imaginário idiota, Adolf Hitler (Taika Waititi), Jojo deve confrontar seu nacionalismo cego.

TRAILER

ELENCO PRINCIPAL

Divulgação/FoxSearchlight

ROMAN GRIFFIN DAVIS é Jojo | Johannes Betzler é um jovem membro da Juventude Hitlerista, instituição que treinava crianças e adolescentes para servir aos interesses nazistas que começaram a ganhar força na Alemanha na década de 1930. Fanático pela ideologia, o garoto tem o próprio Adolf Hitler como amigo imaginário. Focado em subir na carreira até se tornar guarda-costas pessoal de seu grande ídolo, o garoto passa a rever seus conceitos ao descobrir que uma garota judia chamada Elsa está se escondendo em sua casa.

THOMASIN MCKENZIE é Elsa Korr | Elsa Korr é uma garota judia que se abriga na casa dos Betzler para escapar do regime nazista, que tinha como judeus seus principais alvos. Ela então desenvolve uma parceria disfuncional com Jojo, que decide não entregá-la desde que Elsa revele “segredos” de seu povo para um livro que ele está escrevendo.

SCARLETT JOHANSSON é Rosie Betzler | Rosie Betzler cria Jojo como mãe solteira desde que o pai do rapaz foi servir a Alemanha na guerra. Preocupada com o radicalismo enraizado em seu filho, ela procura formas de incluir o garoto na sociedade ao seu redor.

TAIKA WAITITI é Adolf Hitler | Uma das principais modificações em relação ao livro que inspira o filme é a adição de Adolf Hitler como amigo imaginário do protagonista. Originalmente o personagem seria interpretado por outro ator, mas a produtora Fox Searchlight decidiu que faria o filme apenas se o diretor Taika Waititi assumisse o papel. Apesar de fazer aparições pontuais, o personagem desempenha um importante papel na formação de caráter do garoto.

DIREÇÃO E ROTEIRO

Divulgação/FoxSearchlight

Jojo Rabbit é o sétimo filme dirigido por Taika Waititi. O cineasta começou sua carreira dirigindo comédias como Loucos por Nada e Boy na Nova Zelândia, seu país natal. Seu primeiro filme de expressão foi O que Fazemos nas Sombras, um falso documentário que acompanha a rotina de um grupo de vampiros neozelandeses. Ainda em sua terra natal, ele dirigiu também A Incrível Aventura de Rick Baker, que revelou o ator Julian Dennison, o mutante Firefist de Deadpool 2.

Por fim, o diretor comandou Thor: Ragnarok, o terceiro filme da franquia que mudou todo o status-quo do universo do Deus do Trovão e serviu como preparação para Vingadores: Ultimato. Waititi também assina o roteiro da produção, que é baseado no livro Caging Skies, de Christine Leunens.

OBRA ORIGINAL

Divulgação/FoxSearchlight

Jojo Rabbit é inspirado em Caging Skies, livro de Christine Leunens que acompanha Johannes Betzler, um garoto membro da Juventude Hitlerista que passa a questionar suas crenças após descobrir que seus pais escondem uma garota judia chamada Elsa em sua casa. Porém, o longa faz diversas alterações em relação ao material original, já que em suas palavras, Waititi não é um “contador de histórias dramáticas”, e adicionou alguns elementos para equilibrar drama e comédia. O mais notável deles é a presença de Adolf Hitler como amigo imaginário, já que no livro o ditador não aparece.

Apesar das mudanças, a autora não só aprovou como ficou satisfeita com a produção. Em entrevista ao Awards Daily, Leunens elogiou a paixão com que Taika Waititi adaptou sua obra, descrevendo o filme como “uma linha muito tênue entre divertido, afiado, trágico e muito assombroso”.

ONDE VER?

Divulgação/FoxSearchlight

O longa, que teve sua premiere no Festival de Toronto em setembro de 2019 e chegou aos cinemas norte-americanos em outubro, fará sua estreia no Brasil em 6 de fevereiro.

BILHETERIA

Divulgação/FoxSearchlight

Com um orçamento de aproximadamente US$ 14 milhões, Jojo Rabbit já arrecadou US$ 43,8 milhões no mundo todo, levantando US$ 23,8 milhões apenas nos EUA. Os números devem aumentar, já que o longa ainda não estreou em mercados internacionais como o chinês e o brasileiro.

PRÊMIOS QUE JÁ RECEBEU

Divulgação/FoxSearchlight

Jojo Rabbit ganhou atenção no Festival de Toronto, onde fez sua premiere internacional e saiu com o troféu de People's Choice Award, o principal prêmio da mostra. Roman Griffin Davis, intérprete do Jojo, venceu o prêmio de Melhor Atriz/Ator Jovem no Critics’ Choice Awards. O longa também recebeu os prêmios de Filme do Ano da AFI Awards, premiação do Instituto Americano do Cinema.

INDICAÇÕES AO OSCAR

Divulgação/FoxSearchlight

MELHOR FILME | Jojo Rabbit concorre à principal categoria da premiação com outros oito indicados: Coringa, O Irlandês, Parasita, Adoráveis Mulheres, História de um Casamento, 1917, Era Uma Vez Em... Hollywood e Ford vs Ferrari. Caso vença, sobem ao palco para receber o prêmio o diretor Taika Waititi e os produtores Carthew NealChelsea Winstanley, que trabalharam com Waititi em A Incrível Aventura de Rick BakerO que Fazemos nas Sombras respectivamente.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Scarlett Johansson | Pela primeira vez em sua carreira, a atriz foi indicada ao Oscar. Para tornar a ocasião ainda mais especial, Johansson concorre nas categorias de Melhor Atriz por História de um Casamento, e Melhor Atriz Coadjuvante por Jojo Rabbit, no qual entrega uma tocante performance de uma mãe solteira que se esforça para trazer leveza à infância de seu filho em meio a Segunda Guerra Mundial. Ela concorre com Kathy Bathes (O Caso Richard Jewell), Laura Dern (História de Um Casamento), Florence Pugh (Adoráveis Mulheres) e Margot Robbie (O Escândalo).

MELHOR FIGURINO | Essa é a primeira vez que Mayes C. Rubeo recebe uma indicação ao Oscar. Essa é a segunda parceria entre ela e Taika Waititi, com quem colaborou em Thor: Ragnarok. Ela trabalhou também em Avatar, John Carter: Entre Dois Mundos e Guerra Mundial Z. Jojo Rabbit concorre com Coringa, O Irlandês, Adoráveis Mulheres e Era Uma Vez Em... Hollywood.

MELHOR MONTAGEM | Tom Eagles também recebeu sua primeira indicação ao Oscar por Jojo Rabbit. O montador é frequente colaborador de Waititi, com quem colaborou em O que Fazemos nas Sombras e A Incrível Aventura de Rick Baker. Ele trabalhou também nas séries Ash vs Evil Dead e Spartacus. O filme concorre com Ford vs Ferrari, O Irlandês, Coringa e Parasita.

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO | Essa é a segunda vez em que o designer Ra Vincent concorre ao Oscar, repetindo a indicação que recebeu por seu trabalho como decorador no set de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. Vincent, que também trabalhou em O que Fazemos nas Sombras e Thor: Ragnarok com Taika Waititi, tem em seu currículo a trilogia original do Senhor dos Aneis e Alice Através do Espelho.

Ele divide a nomeação com Nora Sopková, decoradora de set que trabalhou na série Carnival Row e recebeu sua primeira indicação por Jojo Rabbit, que concorre com O Irlandês, Parasita, 1917 e Era Uma Vez Em... Hollywood.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO | O filme concorre com outros quatro indicados: Coringa, O Irlandês, Adoráveis Mulheres e Dois Papas.