Esquadrão Suicida 2 | Kevin Feige comenta entrada de James Gunn na DC

Créditos da imagem: Gage Skidmore/Flickr/Divulgação

Filmes

Notícia

Esquadrão Suicida 2 | Kevin Feige comenta entrada de James Gunn na DC

Diretor foi contratado para escrever a sequência

Julia Sabbaga
07.01.2019
07h42

Em uma entrevista durante o Globo de Ouro, o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, falou sobre Guardiões da Galáxia Vol. 3 e foi questionado sobre a entrada de James Gunn no universo DC, possivelmente dirigindo a sequência de Esquadrão Suicida:

"Eu fui ver Aquaman ontem à noite e eu gostei muito. E você me conhece, eu sempre os apoiei. Não vejo uma rivalidade e sim bons filmes sendo feitos. E se tem algo que você sabe de James Gunn é que ele faz filmes legais. Guardiões da Galáxia Vol. 3 acontecerá. Quando, onde, como? Isto fica para depois". 

A produção de Guardiões da Galáxia Vol. 3 foi paralisada por tempo indeterminado desde a demissão de James Gunn em julho, quando antigos e polêmicos tweets do diretor reaparecerem. 

Warner confirmou ao io9 que James Gunn vai escrever o próximo filme de Esquadrão Suicida. Duas fontes confirmaram a mesma informação ao The Wrap e dizem que o diretor também pode comandar o longa. Ainda segundo o site, Gunn teria uma abordagem totalmente diferente do que já foi apresentado nos cinemas, mas não há outras informações.

Ainda sem previsão de lançamento, Esquadrão Suicida 2 seria dirigido anteriormente por Gavin O'Connor e deve ter o retorno de nomes do elenco principal, como Margot Robbie como Arlequina, Jared Leto como Coringa, Joel Kinnaman como Rick Flag, entre outros. Recentemente a primeira versão do roteiro ficou pronta - saiba mais -, mas o roteiro de O'Connor foi considerado muito similar ao de Aves de Rapina - entenda.

James Gunn foi dispensado de Guardiões da Galáxia Vol. 3 quando dezenas de tweets de Gunn de quase uma década atrás foram resgatados. Os posts faziam comentários ofensivos em tom de piada sobre assuntos delicados como pedofilia e estupro e foram trazidos à tona por membros da alt-right, o movimento conservador formado pelos supremacistas brancos norte-americanos.

O estúdio agiu rapidamente e removeu Gunn da direção da terceira parte da franquia, acreditando que os comentários, apesar de antigos, eram inaceitáveis e não estavam de acordo com a imagem pública da Disney. Gunn se desculpou pelos comentários antigos, e, desde então, tem recebido apoio tanto de fãs quando de todo o elenco de Guardiões da Galáxia.