Brad Pitt compara crimes de Harvey Weinstein com os cometidos por Charles Manson

Créditos da imagem: Divulgação/Sony Pictures

Filmes

Notícia

Brad Pitt compara crimes de Harvey Weinstein com os cometidos por Charles Manson

Ator é um dos protagonistas de Era Uma Vez Em... Hollywood, filme contemporâneo aos crimes da família Manson

Gabriel Avila
30.07.2019
19h01

Brad Pitt fez uma comparação entre assassinatos cometidos por Charles Manson aos casos de assédio envolvendo o produtor Harvey Weinstein. O ator é uma das estrelas de Era Uma Vez Em... Hollywood, novo filme de Quentin Tarantino que se passa durante o verão de 1969, quando a Família Manson proclamou o fim do movimento “paz e amor” com uma série de assassinatos pela cidade de Los Angeles. Em entrevista à Variety, Pitt refletiu sobre o impacto dos crimes para a cultura naquele período:

“Quando meus pais descreveram isso, foi como o fim dessa revolução idealizada. Meus pais ainda são hippies mas essa foi a perda do sonho. Como Quentin descreve, você meio que retrata essa utopia, mas há um mofo em volta da tela que trouxe a escuridão da humanidade para a peça e acabou com muitas das esperanças dos meus pais sobre como eles poderiam difundir essa ideologia ‘paz e amor’ para o resto do mundo. Isso meio que esmagou e encerrou tanta coisa que alguns falam disso como uma conspiração. Foi completamente um fim de uma era - imediatamente”.

Em seguida, Brad Pitt foi questionado se acredita que houve um outro momento que chacoalhou a indústria cinematográfica de forma tão impactante desde então. Para o ator, as acusações de assédio sexual contra Harvey Weinstein, produtor cinematográfico e antigo parceiro de Tarantino, fez com que Hollywood passasse por uma recalibragem:

“Harvey Weinstein. Posso dizer isso? Acho que estamos sendo recalibrados. Mas [dessa vez] de uma forma boa. (...) O que vejo agora é uma nova masculinidade, especialmente com pessoas que passaram por Hollywood e sua recalibragem, um novo homem que é mais vulnerável. Não estou falando sobre ser molenga. Estou falando sobre um homem que conhece suas próprias fraquezas e está aberto sobre isso. Vulnerável, com sentimentos reais, ao invés de ser esse machão quero-ser-durão. Mas isso pode ser só eu, como um homem mais velho, em minha própria viagem, projetando essa visão nos outros.”

As denúncias contra Weinstein foram responsáveis pela criação do movimento #MeToo, que estimulou as vítimas a contarem suas histórias. No primeiro dia de 2018, 300 mulheres que trabalham em Hollywood, incluindo atrizes, diretoras, roteiristas e produtoras, formaram o Time’s Up, uma iniciativa para lutar contra o assédio sexual na indústria do audiovisual e também em áreas de trabalho manual, como mecânica, construção, etc. As denúncias chegaram à Quentin Tarantino - saiba mais.

Com Leonardo DiCaprioBrad Pitt e Margot Robbie no elenco principal, Era Uma Vez Em... Hollywood acompanha Rick Dalton, ex-astro de uma série de TV, e seu dublê de longa data, Cliff Booth, durante o ano de 1969. A estreia no Brasil está marcada para 15 de agosto.